Artigo

[Resenha] Hellraiser – The Dark Watch

Hellraiser: The Dark Watch, chegando ao Brasil pela editora Astral, renova o universo dos Cenobitas criado por Clive Barker no romance Hellbound Heart. Consagrado entre os ícones da cultura de horror em sua adaptação cinematográfica de 1987: Hellraiser: Renascido do Inferno.

Imagem: bloody-disgusting.com

Imagem: bloody-disgusting.com

Embora as editoras brasileiras negligenciem as HQs de Hellraiser por muito tempo algumas delas vieram até as terras tupiniquins, permitindo aos fãs espiarem um pouco mais o universo sombrio difundido pelo filme de 1987. Hoje considero material obrigatório para todo o fã de horror e de Dark Fantasies.

The Dark Watch é um verdadeiro presente escrito pelas mãos de Brandon Seifert e desenhado por Tom Garcia.

A história acompanha acontecimentos situados vários anos após o que foi exibido nos dois primeiros filmes e segue duas tramas paralelas prestes a se cruzarem. De um lado temos o ex-detetive ocultista Harry D´Amour (protagonista do filme “O Mestre das Ilusões de 1995, escrito e dirigido por Barker ”) que, transformado no novo Pinhead, lidera um exército de cenobitas no inferno de Leviathan (a mística e misteriosa entidade demoníaca responsável pela criação dos Cenobitas e pela manutenção do inferno conhecido pelo nome de “O Labirinto”) conspirando para proteger a terra dos seus novos semelhantes.

Paralelo a isso, vemos um grupo de investigadores, outrora liderados por D´Amour, organizarem-se para caçar e destruir todas as “Configurações do Lamento”, os quebra-cabeças em forma de cubo, que, quando resolvidos, abrem portas para o Labirinto, libertando os cenobitas e despejando tortura e loucura sobre a humanidade.

Imagem: static.comicvine.com

Imagem: static.comicvine.com

As duas tramas se encontram no momento em que uma invasão de demônios vindos de outro inferno, “o inferno da fúria”, controlado pela entidade com nome de Abaddon, tenta destronar D´Amour e Leviathan, provocando uma guerra entre as duas dimensões que pode abalar as raízes da própria existência.

The Dark Watch é editada em encadernados e, no Brasil, são três, até o presente momento. Tendo sido aclamada pela crítica lá fora, a HQ faz jus a reputação. O roteiro tem uma história cativante, pois a atmosfera prende o leitor e os ganchos que separam os capítulos e os encadernados trazem um suspense digno com muita capacidade de fisgar o leitor para seguir a trama e perceber a fertilidade criativa de Clive Barker, que, mesmo não sendo o roteirista, gerência de perto essa nova perspectiva atribuída ao seu universo, um mérito que deve ser estendido a Seifert, que é competente em respeitar a mitologia original de Hellraiser.

O ponto fraco das 3 histórias publicadas aqui é devido muito mais pela edição do que pelo trabalho original. A tradução também não é das melhores e se estabiliza apenas no terceiro volume, somado ao fato de que The Dark Watch possui um arco anterior de 6 encadernados que não foram levados em conta pela editora. Os diálogos e a história têm um inicio confuso que beira a perda de sentido até a segunda HQ. Mesmo assim, a trama não perde o brilho e a excelência, bastam alguns minutos a mais de atenção e, talvez, uma pesquisa no Google, para fazer o leitor solucionar os desentendimentos.

A arte de Tom Garcia é fiel ao ambiente proposto pelo universo Hellraiser, cheia de gore, vísceras, mortes horripilantes, ambientes alucinantes e criaturas detalhadas de encher os olhos. Eu, particularmente, (alerta de Spoiler!) adorei o visual de Elliott Spencer, o Pinhead original, transformado em pontífice do inferno de Abaddon. Sua armadura insetóide tem garras e pináculos que intimidam de verdade, mesmo em um desenho desprovido de qualquer realismo diegético, e sua testa é crivada de vermes cujo traço causa uma nojenta e repugnante impressão de movimento. Além das criaturas, o desenho do Labírinto é excelente e cheio de detalhes que farão o leitor perder um bom tempo degustando tudo.

Imagem: horrornewsnetwork.com

Imagem: horrornewsnetwork.com

O maior mérito de The Dark Watch é nos dar a chance de revisitar o universo de Hellraiser, principalmente porque vimos os filmes, uma fresta é aberta para um mundo que imaginamos vasto e cheio de histórias, contudo, além do segundo filme, o cinema deixou de cumprir as expectativas dos fãs. Mas, para nosso deleite, Barker e outros autores e artistas levaram o universo dos cenobitas, com toda sua atmosfera marcante e curiosa, para as HQs e isso torna a experiência da leitura ainda mais interessante, já que podemos conhecer melhor alguns personagens marcantes como, Spencer, Tifany, Kirsty e o próprio Leviathan no seu Labirinto, abarrotado de infinitas possibilidades de histórias.

Também é memorável poder ver nas páginas da revista alguns personagens igualmente marcantes de outras obras de Barker. É gratificante poder rever em novas performances, e em uma nova mídia, Harry D´Amour, o detetive atormentado em “O Mestre das Iusões”, e Butterfield, icônico e excêntrico vilão presente no mesmo filme.

Pelos 3 volumes publicados até agora, é possível ver que o futuro dessa HQ será tão satisfatório quanto o que pudemos ler e colecionar até agora. Com certeza os leitores ficaram ansiosos, como eu estou, pela chegada dos novos encadernados, esperamos que a Astral seja rápida e melhore o seu trabalho de tradução. No quesito físico, as páginas e a capa garantem uma qualidade muito boa.

Há pouco tempo, o Mundo Freak noticiou que Clive Barker está preparando a adaptação de Creepypastas para uma Websérie e antes que ela seja lançada, The Dark Watch é uma oportunidade excelente para quem quiser se familiarizar com a imaginação bizarra e desconcertante do autor, mesmo que o roteiro não pertença a ele, o universo é de sua criação e a HQ é coordenada diretamente por suas mãos.

Em um mercado de HQs cada vez mais em ascensão, o terror tem seu espaço garantido com esses 3 volumes de Hellraiser e, se você é um fã de terror e horror, eles são leitura obrigatória.

Informações técnicas

Título – The Dark Watch – Inferno 1

Editora Astral

Nivel de Leitura: Fácil

Nota: 4/5

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Aconteceu Comigo #59 | Locais Mal Assombrados e Mr. Noob