Resenha

[Resenha Indie] Atom Zombie Smasher!

Atualmente, com pouco tempo para me aprofundar muito em jogos que requerem esse tipo de dedicação acabo por conhecer algumas pérolas indies que são bem divertidas. E uma dessas surpresas é esta pérola que aqui vos trago. Atom zumbie Smasher.

Mas afinal, como eu descreveria este jogo de apocalipse zumbi nada genérico? Passando por algumas introduções em outros sites acabo achando o termo “tower defence“, sendo eu um fã do gênero acabo por discordar disso. AZS é um jogo de estratégia, aonde temos que salvar o nosso continente de uma invasão massiva de zumbis rosados e sedentos por carne amarelada humana.

A mecânica do jogo é bem simples, como pode ver abaixo. Temos um tempo limitado para: 1 – salvar o maior número de pessoas; ou 2 – Matar todos os zumbis antes do tempo acabar. Esse tempo limite é a virada para o anoitecer, aonde os zumbis são mais prolíferos e em maior quantidade, ficando impossível qualquer medida que a raça humana poderia tomar.

O legal desse jogo é que ele não é nem um pouco fácil. A cada dia em que salvamos reféns recebemos nossas armas para lutar nessa guerra. Além do helicóptero que temos desde o começo para resgatar reféns, podemos obter uma pequena brigada mercenária, snipers, minas, dinamites, canhões e mais outras traquitanas para podermos aniquilar a espécie rosada.  Mas nem sempre nos beneficiamos com isso, pois cada estágio só é permitido usarmos certos tipos de armamentos, ficando limitados. Aí tem a questão, você salvará apenas os reféns ou tentará explodir todos os zumbis?

Dar cabo de todos é difícil por estágio, principalmente no começo do jogo. Mas é o que mais te beneficia, já que se livrando de zumbis, você ganhará aquela área pra sí, e renderá pontos a serem somados no balanço geral do jogo. Ou seja, como num tabuleiro de War, ganha quem tiver mais casinhas para sí. E acreditem, os zumbis ganham mais pontos que você, então o desafio é certo.

O jogo tem um visual minimalista, bem criativo por sinal, trocando pesadas modelagens em 3D por pontos brilhantes amarelos ou rosas. E o jogo não perde por isso. Além de ter um senso de humor negro bem engraçado.

A trilha sonora do jogo não é nenhum Skyrim, mas garanto que ficará grudada na sua mente de tanto voltar recomeçar a fase pra tentar acabar com todos os mortos-vivos.

Não tenho mais muita coisa para falar, joguem. Recomendo fortemente para quem não quer muita dedicação e apenas umas jogadas casuais, é viciante e não haverá arrependimento.

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Desvendando os Mistérios dos Sonhos | MFC 415