Artigo

Lens of Truth – Oriente vs Ocidente

Lens of Truth
Olá seres, me chamo Andrei e desenvolvi essa coluna com o intuito de falar de maneira crítica e ácida sobre a industria de games de forma geral, sobre modismo, influencias, cultura e artimanhas para fazer você gastar seu rico e suado dinheirinho. Tentarei ser o máximo imparcial possível (mentira), se não curtirem cliquem no dedinho apontado para baixo logo abaixo do post. Vocês também poderão conferir essa matéria no www.meialuax.com

Round One!

Bem, aula de geografia básica. Globalização é evolução dos meios de comunicação de modo que a informação alcança lugares mais distantes e de maneira mais rápida.

Não é mentira que o Japão por muito tempo dominou e moldou a Industria de games desde o nintendinho, enquanto a indústria ocidental se restringiu a cópias legais (ou não) por publishers em sua maioria, apenas trazendo os jogos japoneses pra cá, resguardando exceções. Os RPGs clássicos e até adaptações de filmes americanos eram muito bem desenvolvidos por japoneses. Esse quadro começou a mudar em meados da geração 128 pra essa, mas por qual motivo? Estariam os japoneses desaprendendo a fazer jogos de qualidade? Ou finalmente o ocidente descobriu a fórmula de fazer dinheiro e começou a passar a perna no oriente?

Apesar da globalização ser um fator decisivo para trazer culturas distantes para as nossas lojas de games de impostos absurdos, a própria cultura nipônica começou a pesar nos nossos olhos ocidentais. De que forma? Não é de estranhar se algum de nós, que conhecemos bem sobre games, olharmos dois jogos de lados do mundo diferentes e diferencia-los em poucos segundos. Tanto no visual, forma de narrativa, designs de personagens e até o tamanho dos seios das personagens femininas são estranhos a nossa cultura, tanto em games quanto em animes. Por mais que aprendamos a gostar desses jogos, o Japão é uma cultura extremamente fechada, xenofóbica e milenar e tudo isso causa esse estranhamento para nós. Então vamos levar isso em conta como uma desvantagem já na disputa.

Leon

Esse Leon, acha que engana quem?

Depois temos a indústria ocidental crescendomais e mais. Podemos agora controlar hollywood com controles sem fio, e não falo das porcas adaptações de filmes, falo da estrutura de personagem e história, arquétipos, estilos e palavrões. E isso, por mais que tenhamos crescido com jogos japoneses, somos banhado a cada segundo e respiramos essa cultura ocidental (que fede a bacon). E por isso aquele estranhamento inicial quando “o esperado não vêm” na cultura oriental, que acaba se tornando um meio estranho para nós, sabemos que ali tem algo errado, só não sabemos exatamente o que. Não percebemos isso diretamente, é quase como uma lavagem cerebral. Isso é a sociedade e cultura. Ponto para a cultura ocidental.

jogo americano

Quem descobrir o porque desta imagem, ganha um troféu joinha!

Mas mesmo assim, há um fator predominante que faz realmente o jogo virar para a nova-velha cultura de hamburguers. O Japão como dito acima tem uma cultura fechada, orgulhosa e cabeça dura (lembram de Pearl Harbor? Então). Isso também é um traço cultural. Então enquanto os desbravadores ocidentais testam novas jogabilidades, novos meios de contar uma boa história, e a própria estrutura de game design. O Japão fica preso em cabelos espetados e coloridos, seios grandes e kamehamehas.

Isso é Darwin agindo em cada canto. Se o Japão não se conformar com essa situação, se adaptar aos novos mercados e começar a seguir os nossos passos, terá sérios problemas por aqui. Mas é claro que talvez seja um absurdo uma indústria tão grande e clássica se desfazer da noite pro dia. Mas a própria indústria nasceu assim, não é mesmo?

 

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Desvendando os Mistérios dos Sonhos | MFC 415