[Resenha] Ash vs. Evil Dead

Olá meus Freaks do coração! Tudo bem com vocês?

Hoje vou falar sobre uma das séries que eu mais demorei pra escrever porque não conseguia conter meu fangirlzismo. ESPERO que essa resenha seja pelo menos um pouquinho imparcial, mas não posso prometer nada, rs.

Tenho uma história de muito amor pela trilogia do Evil Dead.  Tudo começou quando eu era uma padawan, 9 ou 10 anos, lá no início dos anos 2000, assistindo escondido o DVD de A MORTE DO DEMÔNIO (tive uma infância meio louca quando o assunto era “filmes de terror”) e tudo se reacendeu quando, aos 16, achei a trilogia disponível pra download rmvb em um desses sites malucos. Então vocês podem imaginar como foi quando anunciaram a série, né? Pois é.

fanart-original-296295-2-jpg

Mas eu disse que seria imparcial, então vamos lá! Ash vs. Evil Dead é uma serie de terror do canal Starz (o mesmo responsável pela maravilhosa Spartacus e a incompreendida Camelot) que estreou em outubro de 2015, escrita por Sam e Ivan Raimi, responsáveis pelos filmes, e dirigida por um monte de gente. Sua primeira temporada teve 10 episódios de aproximadamente 30min cada (com exceção do primeiro e do último) e a segunda temporada já foi garantida antes da estréia da série. Sucesso!!

A série começa 30 anos após os acontecimentos da trilogia de filmes (ignorando o Army of Darkness, já que ele não faz sentido nenhum <3). Ash (Bruce Campbell) está de volta, mais gordo, mais velho e tão inconsequente quanto antes. Ele trabalha como vendedor em uma loja de departamentos e leva uma vida normal (e levemente alcoolizada), até que, por vontade própria, abre o Necronomicon e lê um dos feitiços, liberando o mal (os Deadites) sob a face da Terra. Normal, o de sempre.

Ash trabalha com Pablo (Ray Santiago, de O Preço do Amanhã), um jovem meio bobo que se impressiona com tudo que Ash faz e fala. Pablo tem um crush enorme por Kelly (Dana DeLorenzo, da série Impress Me), uma garota badass que parece odiar tudo e todos. Esse trio acaba se unindo sem querer e juntos partem para tentar impedir que o mundo fique ainda mais destruído por causa das burrices de Ash. Mas é claro que não é uma tarefa muito fácil.

O elenco é composto por mais duas personagens: a policial durona Amanda (Jill Marie Jones, da série Sleepy Hollow), que presenciou o paranormal e está extremamente confusa, e Ruby (Lucy Lawless, a linda maravilhosa Xena <3), que é uma espécie de versão feminina do Ash, só que mais forte, inteligente e madura.

A plot se desenvolve com o trio tentando consertar o caos, mas só piorando tudo a cada passo que dão. Entre Deadites mortos, personagens possuídos e MUITO sangue, Ash percebe que a solução para acabar com tudo isso é voltar pra onde tudo começou. SIM, A CABANA. A EXPECTATIVA ERA TÃO GRANDE. OH DEUS. OBRIGADA!

A inovação que Sam Raimi trouxe com seus tão famosos movimentos e ângulos de câmera (que basicamente consistiam em Raimi correndo com a câmera na mão ou presa numa bicicleta ou em ripas de madeira) estão presentes na série também, assim como as referências à trilogia, as piadinhas sarcásticas e frases de efeito. Eles trazem de volta vários itens dos filmes, como o próprio Necronomicon, a cabeça da Linda (a namorada morta de Ash, nos primeiros filmes), o gravador e a MÃO DO ASH (quando apareceu a motosserra, eu gritei tão alto que estourei os vidros de todas as casas da minha rua). A maquiagem dos Deadites é demais, e os efeitos são naquele nível trash que a gente adora ver. É uma homenagem maravilhosa e espero que tenha mais mil temporadas, tipo Supernatural (inclusive tem duas resenhas: aqui e aqui . Com certeza continuarei assistindo!

tumblr_nynswxGWek1u3ev8zo1_500

Mas agora que eu já dei um apanhado sobre a série (se eu falar mais que isso solto spoilers e vocês sabem que eu sou da Spoiler Police), preciso falar sobre as partes ~problemáticas~.

Roteiro: começou tudo muito bem, mas a parte final da temporada ficou meio estranha. Tudo ficou corrido e algumas interações entre os personagens ficaram muito confusas. O desenvolvimento dos personagens pareceu meio preguiçoso, assim como o desenvolvimento de uma plot paralela que começou, mostrou potencial, mas não terminou. Espero que a segunda temporada conserte esses erros e traga mais coesão durante o desenrolar da série.

Ash é um idiota: isso não é bem um problema, mas Ash está EXTREMAMENTE IMBECIL nessa season. Eu sei que esse é o charme dele, mas tem algumas coisas que… É claro que tudo contribui para a storyline e a season finale é tão absurda que eu não consegui parar de rir, porém vi algumas pessoas reclamando bastante desse fato. Mas se você quiser minha opinião (e você tá aqui lendo exatamente pra isso), eu acho que é tudo proposital. O Ash sempre foi burro, egoísta e precipitado. Por que mudaria depois de todo esse tempo, se o primeiro episódio já nos deixa claro que ele ainda é tão fanfarrão quanto costumava ser? O forte da trilogia original era ser trash e galhofa, e Ash era o rei desses adjetivos. Eu amei que ele continue tão bocó quanto antes!

Só tem 10 episódios: E eles duram só 30 minutos! É um absurdo! Meu coração (e o do resto dos fãs) merecia muito mais! E com certeza o desenrolar da série teria sido bem melhor se ela fosse mais longa. Pelo menos 12 episódios, galera. Pfv nunca pedi nada a vocês (mas com certeza serão 10 na próxima também).

E é isso. Ash vs. Evil Dead é uma tentativa de retomar uma trilogia de filmes que deu muito certo. É uma ótima homenagem e uma ótima porta de entrada pra novos fãs. E a página deles no facebook  é sensacional.

Groovy!

tumblr_nrck80P8ws1t0demio1_500

 

1 Comentários

Participe da conversa →

[fbcomments]
  • Ema Noel

    Só pela primeira frase, eu já te adoro