Mundo Freak Confidencial 19 – Aconteceu Comigo!

Desde que começamos esse projeto, vários relatos pessoais chegam até nós. Nos juntamos para fazer um especial dessas histórias.

Mande suas histórias e quem sabe não participa da segunda parte deste especial?

Investigadores: AndreiRafael, Leo Mitocondrias e Igor Alcantara

Comentado no Episódio

– Grupo do MFC no Facebook;
– Wecast no Catarse! 

assine

Cole esse linno seu agregador de feed ou no iTunes na opção “Assinar Podcast” na aba “Avançado“. Se seu iTunes for o mais atualizado apenas coloque “Assinar podcast” na primeira aba do menu. Ou assinar direto pela iTunes Store, clicando nesse link.

msg

Entre em contato com a gente, deixe seu comentário, sua revolta ou sua solução! Mande e-mails com sugestões, críticas, elogios, spams para contato@mundofreak.com.br ou siga-nos Pelo Twitter e curta nossa página do facebook.

Sobre Andrei Fernandes

Ver todos os posts

Falando de podcast com muita ousadia, alegria e misantropia. Também autor do livro Kalciferum, chanceler supremo do Freakstão e morador de Setealém.

40 Comentários

Participe da conversa →

[fbcomments]
  • Spektro

    só não entendo porque vocês não querem que o podcast fique muito assustador. dá pra tratar dos temas freak de um modo sensato e tals… se caso fique assustador, vejo mais como um plus do que algo que possa atrapalhar.

    • Henrique Tavares

      Ainda não ouvi mas já vou dar opinião! Hehe, o que eu quero mais é que dê medo MESMO.

  • Gabriel Carvalho

    “mas se é medium nao é muito” hahahaha

    • Esses “atels” viu?

      • Nilda Alcarinquë

        Médium não é muito, nem pouco…
        O “atel” tá certíssimo

        • Aslanterna Verde

          E quem não é “atel” é “anatel”?

        • Aslanterna Verde

          Acho esse conceito de médium muito medíocre…

    • buhler

      eu ri alto desse trocadilho do mitocondria xD

  • Gabriel Carvalho

    prometi que escreveria meu caso, mas por preguiça nao o fiz. Fiquei
    empolgado vou mandar por email. Sou ateu, mas escutar esse pod em casa sozinho, com essas meninas rindo como virgula sonora deu um cagaço. Muito bom Andrei, so torço o nariz quanto tem podcast de religião no MFC, acho que nao combina como assunto. vlw

  • biscoitoso

    O cast é bem bacana, é legal a forma que vocês conversam… porém o tal do Rafael corta muito os outros para fazer umas piadas bobas ou enfiar uma historinha, só acho que isso deveria ser maneirado.

    • Manoel Carneiro

      O Rafael é legal rapaz. hehe Que Levante é esse? Só demora um tempo pra se adaptar ao sotaque dele, mas no mais o cara é vital por aqui.

      • Não sei se essa imagem é pra fazer algum sentido, mas cuspi no monitor de rir.

  • buhler

    Esse episodio foi um dos melhores, sobre o idozer, eu falei de jeito ironico XD de fato eu fiquei com dor de cabeça porque ele é irritante xD

    Eu acho, voltado ao assunto uhaahu que de fato os gnomos ou duendes podem ser assustadores, ja ouvi historias comentando que essa aparecia “amavel” seria uma modificação para crianças, e que os duendes originalmente teriam algo como dentes afiados ou eram assassinos, e que por exemplo ele nao teria um gorro, aquilo seria parte da estrutura do corpo deles, ok, isso nao é tão aterrorizador XDDD

  • Alessandro Goulart

    Ótimo podcast! Esse tipo de episódio tem que ser feito mais vezes, pois sempre tem histórias para serem contadas tanto por vocês quanto pelos ouvintes.

    Deixo como sugestão de tema para um programa, vocês falarem sobre as lendas ou assombrações das cidades onde residem. Pelo que entendi vocês não moram na mesma cidade e seria legal cada um falar um pouco desses mitos locais.

    Poderia até ser algo maior como “Mitos do RJ” ou “Lendas de MG” ou algo do tipo. Por exemplo aqui na minha cidade (Porto Alegre) tem algumas histórias legais “mezz lenda mezzo verdade”.

    Pra quem não gosta do Rafael, ele chato, mas é legal! Pra quem é leitor do MDM, ele é tipo o Mallandrox.

    Sobre a trilha quando mais terror melhor, esquecem os ouvintes cagões!

    • Nilda Alcarinquë

      A pergunta é:
      E o host medroso, como fica?

      Afinal, ele ainda não marcou aquele passeio no Joelma…
      Ou marcou?

      • Leonardo “Gargula”

        Eu ainda estou na espera.
        Por mim não precisa ser especificamente só o Joelma, podem ser outros lugares “assombrados” de São Paulo que eu também fico feliz :)

      • Aslanterna Verde

        Eu entendo ele… Imagina a preparação psicológica para encarar esse desafio….

        http://youtu.be/p-GsBAZMsvk

  • Muito bom o episódio, apesar da minha participação. Um destaque especial para a trilha sonora que ficou maneiríssima. A nova edição ficou muito boa também.

  • Sérgio Freire

    Lembrando que na versão em Latim da Bíblia, Lúcifer é o nome usado originalmente para chamar Jesus.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcifer

    • Aslanterna Verde

      Pelo que sei, Lúcifer é o portador da luz, pelo menos, é o que significa o nome, que pode ser interpretado de diversas maneiras, porém todas tendo a luz, iluminação, que no passado tbm poderia ser interpretado como benção, seja como associada a alguma coisa que a porta, como pessoa ou objeto/coisa. Logo, cabe a Jesus essa alcunha, sendo um termo utilizado em versões antigas, em latim, do Livro do Apocalipse, para designar Jesus Cristo (Nesse caso, como a Estrela de Luz, ou a Estrela da Manhã).

      Bem, de Lúcifer já foi chamado também Samael. Este é o anjo que algumas referências citam como aquele que, assim como Shaka de Virgem, era o mais próximo a Deus, um anjo portador da luz (daí o Lúcifer), mas que se rebelou, e, expulso do céu foi condenado ao inferno, e, levou a demonização dessa palavra.

      Interessante apontamento… ;-)

      http://snk-seiya.net/guiasaintseiya/Dios%20Lucifer.jpg

    • Daniel Lopes

      Realmente, o termo Lúcifer foi adulterado com o decorrer dos dias. Apocalipse 22:16 onde está escrito: “Eu, Jesus, enviei o meu anjo. Ele atestou para vocês todas essas coisas a respeito das Igrejas. Eu sou a raiz e o descendente de Davi, sou Lúcifer.”

  • Leonardo “Gargula”

    Cast muito bom, edição bem feita (gostei bastante das músicas de fundo e a vírgula macabra) e achei muito legal a temática de “histórias do ouvintes”. Além de ser interessante, torna o cast mais próximo do público o que é algo muito legal :)
    Bem, vamos a comentação:

    José Roberto Américo: casarões com corredores longos quase sempre são ” bad vibe”, vide “O Iluminado”. Mas realmente eu achei bem creep mesmo. Cara de sobretudo e chapéu, cachorro preto, sei lá, só acho que alguma coisa tem aí.

    Alexandre Bühler: paralisia noturna é algo bem comum como já provado em muitas situações sobre alucinações e etc, mas nessa caso da avó, eu acho que foram “acontecimentos demais” (cheiro, movimento, sensação de presença) para ser apenas um problema de sono.

    Priscila Souza: se a figura do fauna já não bastasse ser aterrorizante o bastante, agora, Porco Gritando foi Pesado. Me explica isso Léo!

    Juan Seabra: “todas as chamas do fogão acendem”, eu já teria mudado DE ESTADO com uma dessas!

    Curti o Rafael viajando sobre “destino/multi-cordas”, também concordo um sobre isso em partes.

    Kauê Canabarra: Alguém tem algum dúvida de que essa boneca “tava com o/um capiroto”!? Alguém!?

    Igor: Alguém “sensitivo” te falando uma mensagem que só você sabe, pode ser coincidência, mas acho coincidência demais. Meo, esse sofá virado foi tenso! E todo esse lance de projeção astral me dá muito medo também, eu teria o mesmo sentimento sem dúvida.

    Adriano Melo: Ok, agora ouvindo sua história na integra as coisas ficam BEM DIFERENTES. Só tenho duas coisas para comentar: primeiro, tem muita coisa bem errada nesse role que você fez cara sério, e segundo, você fez o mais sensato em sair correndo e se abrigar no carro!

    Desculpe o comentário longo, mas só queria dar minhas opiniões :B
    Qualquer coisa mando o próximo por e-mail.
    É isso aí, Avante X Freaks! VlwFlws! o/

  • adorei as histórias do @igoralcantara:disqus , do Leo ‘Mito’ Mitocondria e do Adriano, aliás já pode começar a escrever os contos pq escreve bem mesmo!

    Mundo Freak é o podcast com mais ateus com medo (eu incluso) por m² ahahhahaha

    E fica o recalque, #chupaJN é assim que se fala de mistérios.

    • Adriano Melo

      Obrigado pelo elogio hehe

  • Aslanterna Verde

    Hmmm, experiências sobrenaturais….

    Lembro que já escutei vozes quando criança, assim como já vi interruptores desligarem sozinhos. Sim, não apenas a luz do quarto, mas os interruptores também. Maaassss, bem, sou cético. Tive diversas experiências estranhas, do gênero, na infância, mas hoje questiono minha capacidade de interpretação, e até estado de consciência, nas minhas lembranças da época.

    Das vozes, mesmo lembrando de umas claramente, suspeito que seja um estado de semi-sono, pois era noite em todos os episódios, e no caso dos interruptores, suspeito algo similar. Também tive outros, mas acho que é mais autosugestão que alguma coisa sobrenatural de fato. Já estive em alguns locais ditos mal-assombrados, e sim me senti estranho e tive alguns arrepios, ainda sim, acredito que seja somatização de meu estado de tensão pois, acredito que mesmo o mais cético dos céticos sempre considera em algum grau a possibilidade do sobrenatural em algum momento de tensão, nesse tipo de situação. Ainda sim, em situações assim, consigo controlar esses efeitos e e encarar sem me arrepiar o que alguns amigos mais crédulos quase ficam de cabelos brancos (de já não digo que sou mais corajoso que eles, apenas é efeito da não credulidade). Mas adoro escutar essas histórias, e adorei o episódio. Eu não acredito que sejam fruto de algo sobrenatural, mas como seguidor de ciência também não descarto a hipótese, pois em ciência, nada é 100% descartado ou 100% aceito. Parabéns por mais um cast, e que venham os próximos. Se tiver tempo para narrar uma de minhas experiências sobrenaturais “céticas”, enviarei para algum próximo…

    Sucesso aí pessoal, e esperando mais um episódio.

    Valeu!!!

  • Ricardo A. Santos

    Olá X-Files não vou comentar muito porque elas são histórias pessoais e não tem muito como dar opinião.
    1. Sobre filmes de Sátiros antes de o Labirinto de Fauno teve aquele de As 7 Faces do Dr.Lao
    2. Sobre os Duendes do Chapolin,eu acho que eles são Aluxes, estátuas de barro que são possuidos por espirito de algum morto, eles são uma lenda conhecida no México.

  • Daniel Lopes

    Fala Galera freak.

    Eu já fui do Team Believer (nada do Justin OK).

    Eu perdi minha crença justamente por ter vivenciado “coisas inexplicáveis” que depois foram explicadas e demonstradas. Antigamente, Lá na época do “Geosites” e “yahoo grupos”, tínhamos um grupo de discussão sobre fenõmenos parapsicológicos e afins, o pessoal aqui de BH se reunia e trocava figurinhas, com experiências e dados científicos dos fatos ocorridos.

    No nosso grupo havia um neurocirurgião que defendia uma tese muito plausível e hoje adoto ela como um modo de explicar estes fenômenos de “aconteceu Comigo”.

    Nosso cérebro não tem um HD, uma gaveta onde está armazenada memórias e informações, tudo que conhecemos e que relembramos são conexões entre sinapses neurais, quando temos uma conexão semelhante a uma que tivemos, temos o fenômeno da memória. TUDO que sentimos, vemos, ouvimos, tocamos, lembramos, etc, são conexões entre sinapses nervosas. Muitas destas sensações “extra sensoriais” que Psiquicos dizem ter, podem ser apenas conexões falsas em atividade. Ver um vulto no corredor po ser apenas uma espécie de Memória falsa de uma imagem, que por pareidolia, ligamos à uma forma humana. Sons que ouvimos, cheiros bizarros que sentimos e até toques sem a presença do “tocador”, podem ser apenas memórias falsas que estão fazendo conexões. Isto explica muito coisa, como por exemplo, o fato de muitas das experiências do fenômeno “já aconteceu comigo” ser narrado em ambientes Solitários, Geralmente no período noturno e ,em sua Suma maioria, só acontece com uma pessoa.

    Hoje sou do Time Leo. Cético de tudo. Já fui em locais assombrados, inclusive dormi em uma fazenda no interior de MG que diziam ser “Satânica”, fui em muitos locais e vi muitas coisas ditas sobrenaturais que na verdade são facilmente explicadas. Porém adoro o assunto, vivo com o feed alimentado para novos episódios do Mundo Freak Confinencial.

    Ps. Vou relatar um Aconteceu Comigo (Sceptic Edition) por email, caso queiram coloca-lo na próxima edição.

  • Fake_PA

    olá Freaks! como sempre episódio foda! Apesar de quase sempre ficar meio com medo das histórias, não perco um.

    Antes de mais nada, realmente queria ter ouvido pelo menos o Andrei lá no Nerdcast de casos insólitos, mas o Mundo Freak ta crescendo e outras oportunidades surgirão.

    Sobre o episódio: Eu tenho uma sensibilidade de pedra e prefiro continuar assim, porque acho que não saberia lidar com a situação de ver e/ou ouvir coisas. De casos reais eu poderia citar um bem curto que aconteceu na minha casa, não comigo felizmente, mas com minha mãe.

    Certa vez ela estava no quarto com a minha irmã e o cachorro de estimação da casa, e se não me engano uma conhecida da família havia falecido a pouco tempo. Estavam elas conversando, descontraídas quando de repente o cachorro começou a latir muito nervoso fazendo com que as duas se assustaram e olharam para ver do que se tratava. Para surpresa delas, elas viram a mulher que havia falecido sentada na cama olhando-as. Não lembro ao certo quanto tempo durou o evento. Só lembro de isso tudo ter acontecido algumas horas antes de eu chegar da escola e encontrá-las ainda atordoadas.

    Ainda hoje quando me pego pensando nisso tento colocar as coisas de uma forma lógica, mas não sei como explicar como três testemunhas (sendo uma delas um cachorro), poderiam ver a mesma pessoa de forma tão nítida, partindo do princípio de tentar provar a situação toda como algo inverossímil.

    Sinceramente se uma coisa dessas acontece comigo, eu travaria como o Chaves ou então tentaria sair no braço com o fantasma (e a partir daquele momento teria que começar a fumar e usar um sobretudo marrom).

    Até mais pessoal! Sucesso sempre

  • Guest
  • Fabio Santos
  • Fábio Nazaré

    A história do Igor da mulher de camisola é arrepiante. Fui escutar na cama antes de dormir e me fudi.

  • Cada caso estranho ai, hein hehehe Curti o episódio pessoal. ;)

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Tenho muitos casos ocorridos comigo, com a minha irmã, com amigos, meus pais, na casa onde cresci. A casa foi construída, após a demolição da antiga casinha. Tudo começou com a minha irmã gritando na sala, ela tinha 2 anos, eu tinha 5. Ela volta e meia tinha uns surtos nervosos, ninguém entendia porque. Ela vivia dizendo que tinha um velho atrás da cortina da sala. Depois de um tempo, eu entrei na sala e também vi, nunca mais zoei a cara dela e daí pra frente a coisa só piorou ano após ano. Gente andando na casa, vultos, objetos caindo, portas sendo forçadas e aquela sensação desgraçada de terror. Fomos crescendo e foi só piorando, meu pai tentava negar, não queria saber dessa história, mas ele também presenciava. Minha mãe era espírita e não tinha medo, já eu e minha irmã, cagavamos na calça de medo rs. Numa das situações mais pitorescas, o violão do meu pai tocou sozinho, e não, não caiu nada em cima, nem foi dilatação das cordas, estamos falando de duas passadas de dedos em todas as cordas, algo premeditado e coordenado. Enfim, tenho muitas histórias que passei nessa casa. Se quiserem posso detalhar para falarem num próximo episódio. Abraço!

  • Agatha Gonçalves

    Para mim o aconteceu comigo sempre será o melhor. SEMPRE! haha

    E sobre o que o Jacaúna disse que não conseguir tocar, eu discordo, já aconteceu comigo e com minha mãe. Ambas no meu quarto haha
    A Pri é como eu, tenho medo, mas sempre to cutucando e tentando encontrar mais coisas.
    As coisas sempre guardam um pouco do que já aconteceu anteriormente, isso é fato. E foi o que aconteceu com o Igor e com o primeiro caso.

    Muito bom, muito bom.

    #MaratonaMF

    Beijos

  • Antunes

    Relatos muito bons, inclusive a descrição da casa, no início do primeiro relato, foi muito próxima de uma minha na infância! Sobre as previsões mudarem o futuro, vou contar um caso:

    Em um São João, minha futura cunhada ligou desesperada para meu irmão: “Sonhei com o carro do seu pai explodindo, diga a ele que tome cuidado!”. Assim, meu irmão ligou, disse que
    ela estava nervosa e deixou o aviso. Então, naquela noite, eu e minha família estávamos voltando do sítio, quando meu pai virou a esquina da rua e eu vi uma movimentação.

    Uns vizinhos gritavam e corriam para a calçada, desviando de uma fogueira, e antes mesmo de ver qualquer coisa mais, eu gritei: “Para! Bomba!”. Meu pai freou, me escrachando e perguntando o que era, mas logo em seguida uma bomba explodiu em frente ao carro, uma “bomba bujão”, deixando o motivo do grito evidente. Mais um pouco e a bomba teria
    explodido embaixo do carro. Provavelmente não explodiria o carro, mas causaria um bom prejuízo.

    Óbvio, como era um dia de São João, com fogueiras nas ruas, e eu já conhecia a brincadeira, provavelmente reconheci o “processo”, mas certamente o aviso da minha cunhada me deixou mais alerta, de toda forma. Então, acreditando ou não, deixem o aviso. Ficar mais alerta é sempre bom.

    OBS: O Igor sumiu sem contar a história sobre o enrabador de espíritos?

  • BlackCloud Film
  • BlackCloud Film
    • Mas que excelente forma de compartilhar o seu trabalho entrando aleatóriamente em posts e fazendo spam? Pelo amor de satã