Resenha

[Resenha] Unfriended – Amizade Desfeita – 2015

Olá, Freaks!! Tudo bem com vocês?

Hoje vim aqui falar sobre um filme pelo qual eu não dava nada, mas me surpreendi positivamente! Amizade Desfeita (Unfriended) é um filme de 2014 produzido pela Blumhouse, a mesma responsável por filmes como Ouija, A Entidade, Sobrenatural, Atividade Paranormal e etc. O filme é dirigido por Leo Gabriadze, em seu primeiro grande trabalho, e escrito por Nelson Greaves (que fez alguns trabalhos na série Sleepy Hollow). Estreou em julho de 2014 no Fantasia Festival, no Canadá, mas só foi distribuído para os cinemas gringos em abril de 2015 e no começo de novembro, por aqui.

Assistam por sua conta e risco, o trailer entrega o filme inteiro 🙁

A trama do filme não é nada complicada, o que faz dele tão interessante é seu desenvolvimento e sua inovação. Estamos no aniversário de um ano do suicídio de Laura Barns (Heather Sossaman, em seu primeiro papel de destaque), que foi vítima de bullying extremo após um vídeo seu, completamente bêbada, ser divulgado na internet.

É um dia relativamente normal, e somos inseridos no desktop do Macbook de Blaire (Shelley Hennig, de Ouija e as séries Teen Wolf e Secret Circle), melhor amiga de Laura, que está conversando com seu namorado Mitch (Moses Storm) através de uma chamada de vídeo no Skype. Logo se juntam a eles seus amigos Adam (Will Peltz, de O Preço do Amanhã, e irmão da atriz Nicola Peltz, aquela loirinha chata de Bates Motel), Jess (Renee Olstead, da serie A Vida Secreta de uma Adolescente Americana), Ken (Jacob Wysocki, de A Escolha Perfeita) e Val (Courtney Halverson, da série Death Valley, que não deveria ter sido cancelada, diga-se de passagem). Após alguns minutos conversando, eles percebem que há mais um usuário desconhecido na chamada e, mesmo desligando e ligando, eles não conseguem fazer com que esse usuário vá embora. Ao mesmo tempo, Blaire começa a receber mensagens do perfil do Facebook de Laura e a tal pessoa do Skype começa a brincar com os amigos, divulgando seus segredos e levando-os ao limite do nervosismo. Hacker? Fantasma?

The-Cast-of-Unfriended-Movie-mundo-freak

A galere reunida, toda felizinha. Mal sabem eles…

Eu li o resumo da trama e afirmo a vocês que fui assistir com um leve preconceito, apenas me interessando na idéia de um filme de terror usando o computador como plataforma. Os atores não são muito conhecidos e eu achei que isso poderia atrapalhar na qualidade, mas errei. O fato de nenhum deles ter feito nada muito relevante apenas deixou a atmosfera mais casual, realmente parece que estamos assistindo um grupo de adolescentes falando besteira na internet. Não foi exigida nenhuma maestria de atuação, então tudo correu bem!

A história em si é bem previsível (tirando as cenas finais e alguns detalhes aqui e ali), o legal é o modo como o filme foi feito. O filme todo é contado através da tela do computador de Blaire, e enquanto ela visita várias redes sociais, o filme vai se desenrolando. Blaire acessa o Youtube para ver os vídeos de Laura, visita o perfil dela e de suas amigas, conversa com seu namorado pelo iMessage, vê fotos no Instagram, escuta musicas no iTunes, acessa o Chatroulette e etc, além da própria videoconferência do Skype. Outra coisa muito interessante é que, enquanto Blaire passeia pelos sites e aplicativos, continuamos ouvindo e vendo a conversa do Skype, através daquela janelinha que fica aberta na lateral. É bem realista.

Podemos absorver, mesmo que de levinho, uma crítica á superexposição online e o mal que ela causa, além dos comentários cruéis que as pessoas fazem (“Todo mundo estava comentando, então nós comentamos também. Não falamos de coração, somos boas pessoas”). Laura não era uma menina gente boa, mas a pressão sofrida pelo vídeo e os comentários fizeram com que ela chegasse ao limite. Hoje vemos muitos casos de pessoas que se matam por fotos íntimas divulgadas pela internet, e isso é um problema muito real. O roteirista com certeza não teve problema para encontrar inspiração.

Se você estiver esperando um filme muito assustador, com aquela trilha sonora característica pra tomar susto e com coisas pulando na sua tela o tempo inteiro, esse filme não é pra você. Unfriended é mais terror psicológico do que terror susto, e a interação entre os amigos e suas histórias acabam sendo muito mais interessantes do que simplesmente esperar sentar e esperar os sustos chegarem.

É fácil se envolver pelo ritmo do filme, editado para parecer um take só, e o roteiro nos faz criar empatia pelos personagens só pra nos mostrar quem eles realmente são. A ideia de que Laura possa ter voltado para se vingar aterroriza os amigos de tal forma que eles deixam aflorar todo o egoísmo e autopreservação que possuem, na tentativa de se livrar das prováveis consequências. Dá pra considerar Laura Barns como uma clara alusão ao passado que volta para nos aterrorizar, já que tudo que colocamos na internet fica eternamente gravado. Como diz a premissa do filme, nossas lembranças estão eternizadas na internet, assim como nossos erros!

Nota: 4 de 5

1- Queria ter visto um pouco mais de Laura, sua história, suas atitudes. Ela poderia ter sido melhor desenvolvida, Blaire comenta sobre algo que aconteceu na infância das duas e isso me deixou curiosa demais!

2- Queria que Hollywood entendesse que não precisa colocar o monstro em cena pra nos fazer ter medo dele. Felizmente, foi bem rapidinho.

PS: O sucesso do primeiro filme fez com que a Blumhouse encomendasse a sequência, escrita e dirigida pelos mesmos responsáveis pelo original. Unfriended 2 está previsto para estrear em 2016;

PS2: Todos os vídeos e páginas exibidos no filme realmente existem. É só jogar no Google que dá pra ver;

PS3: Um detalhe interessante: Uma das abas abertas no computador de Blaire é da série Teen Wolf, da qual ela faz parte;

PS4: Me lembrou bastante o anime Kowabon, que estreou em outubro. Ele fala sobre nossa dependência tecnológica e levanta a seguinte questão: E se alguma coisa maligna estiver nos observando através das câmeras dos dispositivos que usamos, sem nosso conhecimento? Kowabon se utiliza da rotoscopia, que é mais ou menos uma técnica de animação que se utiliza da captura de movimentos de pessoas reais para animar os desenhos. Serão 13 episódios e já foram lançados 5. Confira o trailer!

E aí, alguém já viu o filme? Vejo vocês nos comentários, mas cuidado com o que vão postar hein?

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Desvendando os Mistérios dos Sonhos | MFC 415