Artigo

[Resenha] Henshin Mangá

Em 2013 a Editora JBC teve mais uma de suas muitas ideias geniais (sem querer puxar sardinha, mas eles sabem agradar a clientela), lançaram o Brazil Manga Awards 2013/2014 (BMA), concurso nacional de mangás da editora. Onde os participantes deveriam mandar histórias de 24 a 32 páginas, com tema livre e em português.

As histórias foram avaliadas pelo corpo de jurados formado por Fábio Yabu (autor de Combo Rangers), Cassius Medauar (Gerente de Conteúdo da Editora JBC), Arnaldo Oka (tradutor de mangá e ex-chefe de tradução da Editora JBC) e pela Profª Drª Sônia Luyten (maior especialista em mangá da academia brasileira). Que escolheram as 5 melhores, dentro de 185 inscrições válidas.

Então chega de conversa e vamos para os vencedores:

 

Quack (de Kaji Pato)

“Baltazar, o humano, e seu amigo Colombo, o pato, sofrem um acidente aéreo e embarcam em uma hilária aventura em terras exóticas. Uma mistura comédia nonsense, ação e um pouco de drama, com uma arte cheia de personalidade e técnica estão presentes nesta história sobre os laços que unem dois amigos.”

Tanto história quanto arte, lembram muito os primeiros anos de Dragon Ball e outros mangás do mestre Akira Toriyama. Confesso que algumas piadas não me desceram muito bem, o que tornou a aventura repetitiva e enjoativa. Senti falta de um objetivo, os personagens parecem vagar sem propósito algum. Entretanto, devo levar em consideração que se trata de uma história curta, não era possível elaborar toda uma trama em tão poucas páginas.

Quack se bem desenvolvido terá um futuro promissor, falta um quadrinho nacional com essa pegada descompromissada e divertida. E prova disso, é que a Editora DRACO lançou em 2015 o início de tudo em “Quack – Patadas Voadoras”.

Nota (Lucas Tezotto): 2,7/5,0

 

Crishno: O Escolhido (de Francis Ortolan e Lielson Zeni)

“Quando a natureza começa a atacar a humanidade com furiosas árvores vivas, Crishno, que fugia do ataque, é convocado por uma misteriosa cúpula de seres não humanos e recebe a notícia: ele é O Escolhido. Agora Crishno deve liderar o contra-ataque nessa história cheia de bom humor, sátira de gêneros e muito mais.”

Dessa vez a arte me incomodou um pouco, perto dos outros vencedores, Crishno é o que tem os piores desenhos. Mas em contrapartida, o roteiro é sensacional, com quebras da quarta parede, muito sarcasmo e um final hilariante.

Gostaria muito de ver Crishno: O Escolhido como uma web comic semanal, com a mesma pegada e sarcasmo high level.

Nota (Lucas Tezotto): 3,0/5,0

 

[Re]Fábula (de Nameru Hitsuji)

“Nesta releitura da fábula da criação do zodíaco chinês, Deus ordena que haja uma corrida entre os animais, e apenas os 12 primeiros terão a honra de compor o panteão dos signos. Assim, acompanhamos a sangrenta disputa entre o gato e o rato, cheia de truques, reviravoltas e trapaças, na qual é impossível saber o final.”

História riquíssima e arte de encher os olhos, com personagens marcantes e poderes para nenhum outro Shonen botar defeito. A mistura do zodíaco chinês com porradaria deu extremamente certo. Dentro todas, esta é a minha história preferida no Henshin Mangá 2014.

Gostaria muito de ver uma publicação de [Re]Fábula, sem pressa para contar sua história e páginas suficientes para aprofundar esse mundo cheio de vida.

Nota (Lucas Tezotto): 3,8/5,0

 

 

Entre Monstros e Deuses (de Pedro Leonelli e Dharilya)

“Um artista é convocado a reformar um templo religioso, porém o que o espera é uma jornada pela busca incessante da humanidade pela imortalidade e o eterno conflito entre crenças e povos. Esta bonita e criativa história mistura diferentes tipos de arte e técnicas de narração de maneira emocionante.”

A surpresa mais gostosa dessa coletânea. A melhor arte está aqui também, desenhos cheios de vida e detalhes em cada canto. Não é a minha história preferida, no entanto conseguiram criar um roteiro com início, meio e fim. Fazendo com que nos importemos com os personagens, sem deixar pontas soltas.

Entre Monstros e Deuses leva a maior nota dessa coletânea em minha opinião, devido ao total conhecimento e profissionalismo dos autores. Só posso dar os meus parabéns e torcer para que venham outras histórias dessa dupla.

Nota (Lucas Tezotto): 4,2/5,0

 

Starmind (de Toppera-TPR e Ryot)

“Artie é um garoto com dificuldades na escola e, por isso, se sente burro. Depois de levar uma bronca da mãe, Artie faz um pedido a uma estrela cadente: ser inteligente. Seu pedido é realizado, mas da maneira mais inusitada possível. Prepare-se para uma aventura cheia de bom humor, sátiras e incríveis ideias.”

E chegamos ao grande vencedor do BMA 2014, que faz uma grande homenagem aos bons e velhos Tokusatsus. A arte realmente me impressionou, com uma mescla entre páginas extremamente detalhadas e com design mais adulto, e outras mais simples e infantis. O roteiro se inicia como uma grande promessa, mas infelizmente se perdeu no caminho. As motivações dos personagens são pífias e me deram certo desconforto.

Starmind poderia ter sido mais bem explorado, se tratando do primeiro colocado do concurso. Gostaria de ver mais? É claro! Mas espero que o roteiro seja melhor explorado em uma próxima oportunidade.

Nota (Lucas Tezotto): 3,5/5,0

 

Para quem gostou do projeto, terminou em maio de 2015 a primeira etapa do BMA 2015. O que significa que teremos até o final do ano o segundo volume da coletânea. E que venham outras excelentes surpresas.

E aew Freaks, vocês já leram Henshin Mangá 2014? Não? Estão corram e garantam o seu exemplar aqui e aqui. Se sim, conte-nos qual a sua história preferida nos comentários. Nos vemos em breve, abraços!

 

Informações Técnicas

Título Oficial: Henshin! Mangá

Nível de Dificuldade de Leitura: Fácil

Volume único

Preço:  R$ 11,50

Cerca de 190 páginas

Dimensões: 13,5 cm x 20,5 cm

 

 

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Quando seu Cérebro vira o Inimigo – Síndromes Bizarras| MFC 416