Resenha

(Resenha) Garota Exemplar

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que amei o filme, assim como amei o livro. Geralmente eu sofro com adaptações porque sempre mudam tudo e excluem pedaços cruciais, mas não com esse filme. Eu senti que estava lendo o livro em forma visual. Isso faz sentido?

Garota Exemplar (Gone Girl) – David Fincher (2014)

“There are two sides to every story” (Existem dois lados para todas as histórias)

Garota Exemplar é a adaptação cinematográfica do livro de mesmo nome, da escritora Gillian Flynn. O filme nos apresenta Amy (Rosamund Pike, de Orgulho e Preconceito) e Nick Dunne (Ben Affleck, o novo Batman), um casal que está completando 5 anos de casados no dia em que a história começa. Assim que Nick chega em casa descobre que sua esposa sumiu num cenário de suposto sequestro, mas acaba se vendo acusado de ser o principal suspeito pelo crime. Aos poucos vamos descobrindo mais sobre os dois: como se conheceram e o desenvolvimento de seu relacionamento, até chegarmos ao ponto inicial do filme e ao incrível plot twist* que o segue. Talvez o mais interessante do filme/livro seja a forma como a história é contada, através de flashbacks e de enxertos do diário de Amy.

O filme é dirigido pelo incrível David Fincher (A Rede Social, Millennium, O Zodíaco, Clube da Luta, Seven, etc etc etc), roteirizado pela própria escritora, Gillian Flynn (talvez por isso o filme tenha sido tão fiel ao livro), e tem sua música assinada por Trent Reznor (vocalista da banda Nine Inch Nails) e Atticus Ross, que já haviam trabalhado antes com Fincher, nos filmes Millennium e a Rede Social (espero que essa parceria dure para sempre, pois está dando muito certo), e que são os responsáveis por uma das cenas mais maravilhosas que eu já assisti, juntando edição, fotografia e trilha sonora impecáveis!

Além de Rosamund Pike (incrível no papel de Amy) e Ben Affleck (que eu tinha bastante preconceito, mas achei que sua atuação captou completamente a essência do Nick do livro), também estão presentes Neil Patrick Harris (Barney, da série How I Met Your Mother), Tyler Perry (Admiral Richard Barnett, do filme Star Trek) e Sela Ward (das séries House e CSI: NY).

Assim como toda adaptação, existem algumas mudanças necessárias para que o filme possa fluir. Alguns personagens foram cortados da adaptação, mas não afetaram em nada o andamento do longa. Além disso, o final do livro é bem diferente do final do filme, mas na minha singela opinião Gillian Flynn conseguiu dar um encerramento tão bom quanto o original… eu poderia dizer que o filme teve um final mais completo.

2

Cada detalhe conta em Garota Exemplar. É preciso ter muita atenção para entender todos os mínimos detalhes e amarrá-los no final, caso contrário o filme será chato e fantasioso. Um dos melhores detalhes do filme foi mostrar como é a influência da mídia e o sensacionalismo jornalístico na formação de opiniões e na destruição de imagens. Durante os 149min de filme, que passam voando, Fincher fez questão de mostrar como o sumiço de Amy impactou os meios de comunicação locais, seja por meio de outdoors, de anúncios ou até mesmo com os pais de Amy, divulgando um site criado para encontrá-la. Esse detalhe também é um dos pontos importantes para aceitar o desenrolar do filme.

Minha dica para vocês: Leiam o livro e assistam o filme, sem se importar com a ordem. Ambos funcionam maravilhosamente bem de forma independente!

NOTA 5/5

PS: O twitter promocional do filme divulgou uma conta no Pinterest que “pertence” a Amy Dunne. Vale a pena se divertir um pouco lá! http://www.pinterest.com/GoneGirlMovie

*Plot Twist: Significa Reviravolta de Roteiro. É quando acontece alguma coisa que mude completamente o rumo da história e dos personagens.

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Quando seu Cérebro vira o Inimigo – Síndromes Bizarras| MFC 416