Artigo

Diário da Campus Party – O Guia do Iniciante

Bom dia, boa tarde ou boa noite leitores Freaks, aqui quem fala é seu anfitrião Andrei Rated, e hoje vim trazer um mega post especial sobre a Campus Party. Marujo de primeira viagem, escreverei cada detalhe do que passei e passarei por aqui. Esse Post será constantemente atualizado durante a semana. Para garantir o clima campuseiro.

Primeiro e Segundo Dia

Primeiro dia, empolgado. Pegamos a van gratuita próximo ao evento. As coisas realmente são bem complicadas na hora da entrada. Filas são geralmente um problema sério. E na Campus não é diferente.

Ficamos cerca de 1 hora e meia no sol. Muito? Nem me atrevo a reclamar sabendo que no ano passado fora cerca de 8 horas. Não houve confusão ou atrasos.

Cadastramos nossos equipamentos – aqueles aceitados, portáteis e HDs externos ficaram de fora – e cada um já poderia pegar seu lugar e se plugar.

Fiquei na parte de Cultura Digital e cá estou. A mesa de podcasters e blogs, geradores de conteúdo, estão todos, ou quase todos aqui. Tecnoblog, Jovem Nerd, Matando Robos Gigantes, Pauta Livre News, Rapaduracast, Fênix Down, RadioFobia e muitos outros é tanta gente que pedirei perdão pela falta de twitters e endereços, sem falar daqueles que não vieram com bandeiras ou camisas, e por isso não reconheci. Todos a um passo de distância. Todos bem simpáticos e atenciosos com os leitores ou ouvintes.

O lugar é composto de vários ambientes, tanto fisicamente diferentes quanto de gêneros diferentes, a galera da robótica fica de um lado, os gamers de outro e assim por diante, tudo para juntar todos aqueles que gostam de um mesmo hobby a interagir.

A internet é menos do que eu esperava, baixando na steam a 500 Kbps e demorando um episódio disso ou aquilo alguns minutos para serem concluidos, tudo bem que é uma velocidade longe da realidade do brasileiro comum, mas que de tanto se falar criei expectativa.

Enquanto ilustro na tablet o pessoal brinca, pede pra desenhar. O clima é bem divertido, ao som de Candle Box. Piadas e risos rolando soltos, daquelas que só você entenderia em qualquer outro lugar.

O evento tem seus contras, falta de organização e má vontade de alguns profissionais que deveriam dar instrução aos desligados de plantão ao invés de barrar entrada enquanto procuram aonde entrar ou sair do evento, isso chateia qualquer um.

Além disso, preços caros e poucas opções, coisa natural para os eventos brasileiros, parecendo que tem mais objetivo de ganhar dinheiro em cima dos pobres campuseiros. Além disso, os ventiladores e bebedouros foram colocados apenas no segundo dia, dando aquele gosto de que deixaram pra montar o evento, durante o evento. Além do calor que é suportável, mas bem irritante.

Umas dicas que dou para os iniciantes que queiram participar nos próximos anos, leve sempre dinheiro vivo, poucos lugares por aqui te darão opção de forma de pagamento, então dinheiro vivo é sempre mais garantido. Se quiser fazer um network pra divulgar marca ou oferecer serviços, não se esqueça de cartões legais e originais – para chamar atenção de todos os outros que você recebe.

Um pouco de cara de pau é uma boa pedida, fazer novas amizades – fácil, estamos num ambiente aonde todos temos mesmos gostos –  mas sempre lembrando do bom senso para não se tornar um chato. O que mais tem são as tietes dos “Highprofiles” da área, não se torne um.

Terceiro e Quarto dia

Apesar dos erros infantis do evento (bebedores e ventiladores) o evento é algo para ser explorado. A nesses últimos dias de evento foram meio conturbados, eventos de fora nos garantiram um tempo a mais fora da Campus do que dentro. Resultado de network.

Num evento dessa proporção e magnitude que tem como objetivo juntar a todos também causam certo desconforto, afinal de contas a garantia do teu lugar depende da cordialidade e gentileza do próximo, algo raro hoje em dia, e assim por consequência raro na Campus. Mas tirando pequenos estresses causados pela falta de noção e bom senso de alguns os companheiros que você consegue te ajudam nesse quesito.

Agora, como aproveitar a campus? Primeiro você deve distinguir seus objetivos. O circuito de palestra é muito bom, e tem realmente algumas pérolas que eu gostaria de ter assistido, mas meu objetivo foi pelo network do evento, conhecer gente nova e saber o terreno em que os Freaks irão pisar, isso tudo é importante para se acostumar com o ambiente e as pessoas que possivelmente serão leitoras ou parceiras do seu blog. É importante da mesma forma saber se localizar, não espere muito network na área de games, além de não socializarem, não tomam banho.

Claro que também há as competições, a área de engenharia e robótica, astronomia e mídias sociais. Ache as áreas de interese e trace seu próprio guia para a semana e não haverá muito tempo nem para twitar, eu garanto.

Finalizando o post, a maioria das dicas eu já dei acima. No mais a experiencia com o evento é o mais educador do que qualquer dia, a Campus Party é um evento de possibilidades e oportunidades, e tudo isso vem com suas atitudes com relação a parte da socialização.

O Freak se orgulha de ter ido a Campus pela primeira vez, infelizmente não levei os cartões já que não ficaram prontos a tempo (D=) mas garanti algo mais importante do que isso. E isso eu não poderei contar, pois cada um garantirá algo além de experiencia.

Boa sorte campuseiros, e que a Campus Party 2013 venha com tudo.

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Desvendando os Mistérios dos Sonhos | MFC 415