Artigo

Porque não lançar sua própria HQ?

Eu mesmo conheço muita gente que desenha ou escreve muito bem e que sonham em lançar sua própria HQ. Mas por que não fazem isso? Porque é MUITO difícil entrar no mercado, ainda mais quando se é brasileiro. Pelo menos é isso que eles pensam!

Lançada pela Vertigo, Daytripper, produzida pelos brasileiros Fábio Moon e Gabriel Bá

Pessoal, o importante é aparecer! Lógico que se você desenha ou tem idéias excelentes para roteiro, o mais óbvio a se fazer é mandar um email para a seleção da DC, Marvel e outras grandes empresas internacionais mostrando o seu trabalho. E tem muito brasileiro nesse jogo galera! Aliás, somos o povo mais cotado e mais prezado lá fora justamente pela nossa criatividade.

Mas se você já tentou de tudo e não foi aceito, ou nem deram bola para o seu trabalho faça com que eles se arrependam! A hora de se mostrar é agora, com o crescimento explosivo das tablets, os e-books ganharam mais atenção, e as HQs virtuais também! É super fácil lançar um trabalho seu em sites como o da Amazon, as próprias lojas virtuais já dão um suporte enorme para autores e artistas independentes. Mas como meu trabalho é só apontar o caminho eu não farei nenhum tutorial por aqui, até porque ninguém precisa procurar muito para achar algo do gênero (é só pesquisar no google que você acha todo o passo-a-passo que precisar).

Vamos enumerar as opções:

 

  1. Se mostrar diretamente para as grandes ou médias empresas através de emails e contatos fornecidos por elas mesmas.
  2. Tentar lançar seu trabalho em formato virtual de forma independente e torcer para dar certo.
  3. Aproveitar o incentivo do governo e  lançar sua HQ no mercado nacional por via impressa, também de forma independente ou até por uma editora pequena.
  4. Tentar lançar sua HQ virtualmente com a ajuda de uma editora especializada.

 

Outros dois brasileiros que têm trabalhos são Edu Medeiros e Rafael Grampá, que figuram na antologia Strange Tales II

Claro que existem mais opções, mas as principais estão ai. A segunda opção eu já falei, a terceira é focada em ralar, ralar muito e passar muito aperto! Na quarta opção, é a forma mais fácil de se conseguir atenção de uma empresa e de cara ganhar um apoio. Se você desenha mas não escreve, ou escreve mas não desenha, ela te apresenta a outra metade, além de criticar o seu trabalho e avaliar se será bom lançar assim ou se devem fazer algumas mudanças. E claro, ela fica por conta de gerar a publicidade necessária e colocar a venda nos veículos corretos. O que já vale muito.

Para finalizar, não se esqueçam  de eventos! Quem é visto é lembrado, já dizia a sua avó! Principalmente em uma Comic-Con da vida, você ganha a chance de conhecer grandes profissionais (quem sabe não conhece o seu ídolo?) e até apresentar o seu trabalho a eles e conhecer o meio do qual você quer fazer parte.

Eu não coloquei nenhum contato de empresa neste post porque ninguém está pagando publicidade e como eu não possuo talento para o desenho e nem para escrever roteiro, eu não posso indicar contatos que minha experiência possa julgar confiável, isso vai valer da sorte e da perseveraça de cada um. Mas se alguém realmente se mostrar interessado, mande um email: [email protected] que posso mandar uma indicação (somente opção 4).

Foi um post meio basicão, mas pra quem deseja entrar neste campo e não faz idéia de como começar eu acredito que já devo ter ajudado. Quem quiser conversar a respeito, discutir, brigar, xingar, tirar pocota do nariz e etc, pode postar um comentário por aqui ou mandar um email para o mesmo contato acima que se não porrinhar demais eu respondo (brincadeira). Um grande abraço!

por Josué Ribeiro

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Quando seu Cérebro vira o Inimigo – Síndromes Bizarras| MFC 416