Mundo Freak Confidencial 170 – IT – A Coisa

It, a obra prima do medo. Um clássico do cinema de horror que volta 27 anos após um longo sono. Escrito pelo mestre do horror Stephen King, conta a história de uma pequena cidade assombrada por uma força maligna em forma de palhaço. Abordamos o filme antigo, novo e pincelamos os conceitos do livro e as origens da criatura.

Nesse Mundo Freak Confidencial, acompanhe as investigadores Andrei FernandesRafael JacaúnaIra CroftJuliana Ponzi e Nando Ticon (Hora do Terror) sendo perseguidos por um palhaço maldito que amaldiçoou esse podcast. 

Download do episódio compactado em formato RARClique aqui com o botão direita e selecione “Salvar Link Como“.

1111

Comentado nos recados!

Comentado no podcast!

assineCole esse linno seu agregador de feed ou no iTunes na opção “Assinar Podcast” na aba “Avançado“. Se seu iTunes for o mais atualizado apenas coloque “Assinar podcast” na primeira aba do menu. Ou assinar direto pela iTunes Store, clicando nesse link.

E-mail

Se quiser assinar nossos programas e receber mensagens quando um novo episódio é lançado, faça o seguinte:

  1.  Clique no botão abaixo!
  2. Uma nova janela irá se abrir, então clique em “Use Recipe”!
  3. Efetue o cadastro com o e-mail que use com frequência e ao final clique em “Create Account” 
  4. Clique novamente em “Use Recipe” e pronto!

IFTTT Recipe: Receba os episódios do Mundo Freak por e-mail! connects feed to email

msg

Entre em contato com a gente, deixe seu comentário, sua revolta ou sua solução! Mande e-mails com sugestões, críticas, elogios, spams para contato@mundofreak.com.br ou siga-nos Pelo Twitter e curta nossa página do facebook.

Sobre Andrei Fernandes

Ver todos os posts

Falando de podcast com muita ousadia, alegria e misantropia. Também autor do livro Kalciferum, chanceler supremo do Freakstão e morador de Setealém.

61 Comentários

Participe da conversa →

[fbcomments]
    • Sir Jones Kast, Ph.D.

      Como diria o Rafael: Aí já é o demOnho!

  • É da hora a cena de suruba infantil no esgoto que tem no livro, isso sim é freak… Mas não veio pros filmes, talvez por bom senso.

  • Moah Oliveira

    Ouvindo o podcast e meu medo de palhaços?
    https://giphy.com/gifs/CfoiRXkfHSEEg?ref=fbt

  • Sir Jones Kast, Ph.D.

    Ô papai, que delícia.

    Baaaaas…eu só vi o original, rola de tomar spoiler com o cast? Se isso é possível, sem previsão de ver esse remake ainda.

    • Do filme novo? Sim. Mas é bem próximo.

      • Sir Jones Kast, Ph.D.

        ObrEgado, então esperarei até assistir e volto pra escutar.

  • Bizarro

    Apesar de mudarem algumas situações, eu gostei do filme. As crianças foram extremamente bem escolhidas, encarnaram bem os personagens. MAS, não consegui “comprar” esse Pennywise.

    SPOILERS ABAIXO. SPOILERS ABAIXO. SPOILERS ABAIXO.

    não curti terem (aparentemente) se livrado do Henry tão cedo. Ele e sua gangue poderiam ter sido melhores utilizados, colocassem eles pra perseguirem os Perdedores nos esgotos pelo menos. Ben fazendo todo o “trabalho de investigação” que o Mike faria no futuro, deixou meio que o personagem do Mike “meio vazio”. E a luta contra o Pennywise me pareceu “facil demais”. Não sei se é pq o vilão é muito poderoso, mas fazer um corredor polonês e resolver td na porrada foi foda de engolir.

    • Pelo que eu entendi do filme, a luta com o Pennywise não foi resolvida na porrada. Ela foi resolvida individualmente, dentro da vida de cada personagem. Cada criança encarou seu próprio medo, criou coragem, cresceu e então se tornou maior que o medo, se superando. Isso acontece quando o Eddie confronta sua mãe super controladora, quando a Beverly encara seu pai, etc. Assim, Pennywise não teria mais nenhum poder sobre eles. O conflito do filme não se resolve na cena onde Pennywise é enfrentado, mas individualmente, um por um, culminando na reunificação do grupo de amigos. A cena da porrada é só pra efetivar isso de forma física mesmo e encurralar o bixo num canto. Se eles não vencem o bixo em si, além de vencer o medo, o roteiro fica com ponta solta. A audiência se perguntaria: mas e o bixo, que fim teve?

  • Bizarro

    Sobre a origem da Coisa, os Perdedores fazem um ritual indigena da “cabana esfumaçada”, em que eles queimam madeira dentro do clube deles (lotando de fumaça) e um por um vão saindo até ficar o Ritchie e o Mike. Os dois entram em transe e presenciam a chegada da Coisa, a trocentos anos atrás, antes mesmo de os humanos aparecem na terra. E uma coisa interessante, ela vem do “Macroverso”, o espaço vazio entre os universos (curiosamente, o “espaço Todash” do qual as criaturas de O Nevoeiro vem, tem a mesma definição).

    • Rodrigo Rodrigues

      Exatamente :), outra coisa legal de comentar, é que o Andrei ficou um pouco indignado dela ser incorporea e ao mesmo tempo botar ovos, mas o que da a entender no livro, é que o corpo real dela fica nesse outro universo, mas a existência dela toca o nosso mundo de forma material, e essa parte material se comporta como um organismo vivo que cresce e bota ovos. Essa parte material teria uma forma indescritível, mas que a mente humana numa tentativa desesperada de racionalizar, interpretaria como parecido com uma aranha.

      • Bizarro

        Legal é que o King diz que mesmo sendo “uma entidade” (por falta de uma palavra melhor) poderosa, ela tá limitada a certas regras fisicas quando assume uma mascara, mas ainda continua psiquicamente vulnerável (o que fez o ritual de Chud tão eficiente), por isso sempre interpretei que quando ela ficasse “nesse plano”, ela teria que ter um “corpo”, por isso poderia botar ovos, ser morta e talz. Apenas se ela ficasse nos Postigos acredito que ela não precisaria ficar presa nessa situação (Mas como foi puta arrogante, se fodeu bonito 2 vezes haha). Esse lance da Aranha achei foda, até o proprio Bill quando criança percebe isso, que aquilo é só um modo como a mente deles aceita aquilo (e achei do caralho, já que uma aranha gigante é um puta de um medo primal da humanidade haha).

        • Conversa muito legal, ótimos comentários.

          To quietinho no canto acompanhando :)

          • Tipo um palhaço assassino no esgoto

          • They float, Andrei, and when you’re down here with me, you’ll float, too.

  • Vou comentar algo que só eu e mais 3 amigos, até agora, sentimos. Este filme não foi de terror. Particularmente, foi pelo caminho contrário. Foi um filme bem aventureiro. Aquelas crianças eram eu e meus amigos na época. Eu me vi no meio da turma.

    A cena do enfrentamento dos valentões (quem sofre Bulling é criança Nutella), tb aconteceu com minha turma.
    E temos nosso próprio It tb, uma lenda urbana local.

    Eu me divertir horrores com o filme, e é a segunda obra baseado em Stephen king que me faz sentir assim.

    Mas pra não dizer que foi tudo flores, o Pennywise me encomodar profundamente. Que personagem horrendo .
    Nós Trailers eu não entendia o porquê dele ser um palhaço tão mostruoso, como que uma criança se se sentiria atraído por ele. Mas na cena do bueiro ele me convenceu que mesmo mostruoso ele pode ser um palhaço carismático. E é aí que o cara começou a me incomodar. E essa impressão perdurou o filme todo. “Sei que ele é o cara que eu devo odiar, mas ele é tão legal” era o que eu pensava. E é assim que me sinto também com o Dexter, por exemplo.

    O único que me incomodou mais que o Pennie foi o pai abusador. Esse é o personagem que não temos nenhuma ponto para apoio, odiamos incondicionalmente, e acho que aquela pancada na cabeça foi pouco!

    Por fim, espero desesperadamente pela continuidade da história. E espero que os paralelos com minha vida tenham terminado…
    É isso.
    Até!

    • O filme não se propõe a ser do gênero terror; talvez a galera tenha achado que é por causa de algumas ações de marketing. É uma aventura com suspense. Olhando o s sites de catálogos de filme, ele tá como Drama e Thriller (suspense).

  • Rony Motta

    O podcast está incrível, e fiquei muito feliz por ter esse episódio por gostar muito do filme e também porque conheci o Mundo Freak pelo episódio do filme A Bruxa. Estou acompanhando e comentando agora os que são lançados, mas também ouvindo os antigos. Só um detalhe, o Hisoka de Hunter x Hunter deve ter sido inspirado no PennyWise kkkkk. Obrigado pelo ótimo conteúdo e tudo de melhor pra vocês pessoal! https://uploads.disquscdn.com/images/331f539779875e3e9558cfb4a0a148aff8cda7d505eafb62199691c7992450b1.png

  • Felipe Barbosa

    Toda vez que eu ouvia o Andrei chamando o ator do IT antigo de Tim Cook

    https://uploads.disquscdn.com/images/32aaf618fac7cdddd1d1d6905d0945ac26a019bc12883bf47fb98162e048093d.png

    • Bean

      E quando ele falou que o filme do Iluminado era do Hitchcock?

  • Rodrigo Sbardelini

    Então, concordo sobre o lance do primeiro filme / série….eu assisti uma semana antes de ver o It atual, eu adorei a primeira versão, a história é ótima! Mas o ritmo é meio bosta mesmo e bem massante…acabei assistindo em duas partes, por ser massante e etc.

  • Carol

    A promessa do final, com as mãos cortadas, não tem nada a ver com a cena de sexo do livro, não foi feita pra compensar a falta dela no filme. Esse pacto de voltar se o It não tivesse sido morto foi feito no livro também, por isso eles voltam como adultos. Nada a ver aí, ô Andrei.

    Tem sexualização da Beverly no livro, mas por parte do pai dela mesmo, não na escola, a mãe dela (presente no livro), tem bastante medo, faz perguntas à Bev, vemos na cena do pai acusando a menina de andar com um monte de garotos, fazendo “coisas de adultos” com eles, tem coisas mais pesadas no livro, levando àquela cena que nós vemos no filme, logo antes dela correr pro banheiro. Ficou bastante parecida.

  • Tiago Malta

    Primeiro Podcast com o Rafael jacaúna que não vou ouvir eu morro de medo desse filme, medo real, não tenho medo de palhaço, tenho medo desse palhaço dessa história.

    • Relaxa e confia que você vai ter uma experiência gratificante =D

  • Lucas Pelin

    Ouvindo agora o final do livro só me resta orar muito pra inventarem outro. O tiozinho perdeu a linha

  • Fernanda Goldschmidt

    Tava ansiosa por esse podcast! Ansiosa pra ouvir a opinião de vocês. Muito bom o debate. Galera do Mundo Freak sempre trazendo boas observações. <3

  • Fernanda Carvalho

    sobre a dancinha do Pennywise :P posso estar viajando muito, mas eu acho que naquela cena da dancinha ele estava tentando deixar a Bev tranquila para ai sim ele conseguir tirar ela da zona de conforto e tacar medo na garota, assim como fez com o Georgie , tentando ser todo amiguinho e tals. Ela estava em modo de “guerra” e a adrenalina não deixaria o medo tomar conta, então deixando a menina confortavel com ele ele poderia assusta-la. (nem sei se eh uma descoberta ou se estou sendo so capitão obvio mas eu quis participar pela primeira vez dos comentarios :P)

    • Bem vinda aos comentários Fernanda! Sinta-se livre pra deixar feedback positivo ou construtivo, dar sua opinião, conversar de boa com a galera. A gente tá sempre por aqui monitorando e trocando idéia também, com conversas bem legais.

      Volte sempre :)

      • Fernanda Carvalho

        Muito obrigada!!! vou estar sempre por aqui agora :)

        • Episódios mais antigos tem conversas muito legais que a galera continua até hoje. Recomendo também :)

    • Otto Calla

      Outro detalhe sobre essa cena, logo que ela chega, não existe “saida” não tem como ela fugir, resta somente o enfrentamento a coisa, assim ela não pode se dar o luxo de ter medo. No momento da dancinha, uma porta “aparece” dando a ela a noção de gota de esperança que é essencial para manter a pessoa com medo, existe agora uma alternativa ao enfrentamento que naturalmente é seguida por ela. E assim ela é pega. As táticas do IT são ótimas e denotam muitos anos de prática e análise dos sentimentos humanos.

  • João Carlos Lisboa

    Gente, ainda não ouvi o cast todo, mas uma coisa sobre a “maldição” da cidade que o Andrei fala… No livro e no filme de 90 os adultos que saíram de Derry se esqueceram completamente de tudo que aconteceu, e só se lembram quando Mike liga para eles. E quando eles voltam para a cidade as memórias voltam com tudo.

    Spoiler do final do livro

    Quando eles derrotam a Coisa eles começam a se esquecer de tudo novamente, mas dessa vez até as anotações que foram feitas pelo Mike começam a sumir de seus cadernos.
    Não me lembro se é exatamente assim, mas esse filme me fez querer ler novamente o livro e eu já comecei.

    Grande abraço a todos

  • Parabéns, o cast tá ótimo, como sempre!
    Comecei a ler o livro está semana, antes de assistir os filmes (o novo e o antigo) qual foi a minha surpresa quando descobri que o episódio dessa semana era sobre O It!
    Quando a Ira disse que o palhaço era um um ET, deu uma broxada… Outro ‘apanhador de sonhos’ pensei! Na minha opinião, a origem dele não precisava ser explicada. Podia ser apenas uma entidade, que volta a cada 27 anos.
    Adoraria ouvir um cast sobre o King, diz a lenda que todas suas histórias estão no mesmo universo.
    E a Torre Negra merece um cast a parte!

    • Bizarro

      O livro O Apanhador de Sonhos acho bem legal (apesar da bizarrice de onde os aliens saem do hospedeiro ha), mas o filme é horroroso msm.

    • Matheus

      No Cast algué, falou que gostaria de ver uma adaptação de A Torre Negra e, pasmem, essa adaptação existe e está em alguns cinemas. Não sei se pode colocar link aqui, então não coloquei, mas é só procurar nos sites que fala sobre filmes que vai achar! :)

  • Luis P

    O filme que não vi, mas tem o jacaúna oh duvida cruel.

  • Acácio Raphael

    Interessante vocês discutirem a forma que a presença do gore se dá no filme. Gostaria de ressaltar que essa é uma das características do Stephen King mais interessantes, na minha opinião. Ele inclusive fala sobre isso em um dos livros dele, discutindo a existência de três tipos de terror. O mais básico é o terror gore, escrachado, que mostra membros cortados e etc. Mas ele, como autor de terror, sempre tenta explorar os outros dois tipos. O segundo é o terror do monstro, que assombra o leitor, mas que não constitui um terror tão explícito como o primeiro. Em It, o palhaço que cumpre esse papel (e cumpre tão bem que se tornou um ícone do imaginário popular). E o último é o terror psicológico, é uma impressão final, percebida e não dita. Acho que em It, pela conversa de vocês (confesso que não li esse livro dele ainda rs) a forma como a cidade se parece com um organismo vivo, uma coisa que atua para o mal, e a forma como isso acaba virando uma ideia fixa e percebida pelo leitor (ou pelo espectador) serve de um ótimo exemplo pra esse último tipo de terror, mais sutil.

    • Acácio Raphael

      Achei a passagem dele que resume isso: “Eu considero o horror como a mais fina das emoções, por isso vou tentar horrorizar os leitores. Mas, se eu achar que não posso horrorizá-lo, vou tentar aterrorizá-lo e, se perceber, então, que não vou conseguir aterrorizá-lo, vou apelar para o terror explícito. Eu não sou orgulhoso.” – Stephen King em seu livro Dança Macabra (inclusive leitura obrigatória se vocês pretendem fazer um episódio sobre o Stephen, onde ele explora essa idéia dos tipos de terror e dos arquétipos de monstros – o vampiro, o lobisomem e o Frankstein). =)

  • Luiz Villela

    Bom dia
    Meu nome é Luiz Villela, 49 anos, morador do Rio de Janeiro.
    Ótimo podcast.
    O filme foi me despertou a vontade de ver a versão dos anos 90. Um pecado mortal, que corrigirei, o mais rápido possível.
    Eu também ri da menção à Molly Ringwald. Aliás, alguns adolescentes, que estavam ao meu lado, me olharam com a expressão de que observa um louco.
    Apenas uma observação. Mencionar que o filme “O Iluminado” foi feito por Hitchcock deve ter feito Stanley Kubrick se revirar na tumba.
    Bill Skarsgård está assustador. Curiosidade: Ele é irmão do ator que faz o personagem Flocky, na série Vikings, e filho de Stellan Skarsgard que trabalhou em diversos filmes (o melhor deles é Millenium – Os Homens que não amavam as mulheres e Thor. Onde faz o cientista que surta) ou seja, uma família acostumada ao insano.
    Adorei o desenvolvimento do podcast e espero que continuem falando sobre filmes, quando for possível.
    Poderiam aproveitar o momento e fazer um podcast sobre John Wayne Gacy, uma das inspirações para It. Se já fizeram, desculpe.
    Um abração.

  • Ana Souza

    A cara…. Mas a pegada do King, uma das grandes características dele, que ouso dizer que até o filho dele (Joe Hill) herdou, é te levar para um lugar sombrio, de dar medo, mas ter aquela tirada engraçada que te faz gargalhar as vezes. Não li todos os livros do cara, mas os poucos que li, quase todos apresentavam essa característica….

  • Filipe Bortoletto

    Olhos em duas novas adaptações de contos do king que sairão pela Netflix ainda esse ano:
    “1922” acerca de um cara que mata a esposa e tem que viver com isso e com o resto da família. E “Jogo Perigoso” que conta a história de uma mulher que é presa na cama durante uma fantasia sexual com o marido, mas o cara tem um ataque cardíaco e morre logo após prender ela na cama, e o filme aborda esse pesadelo dela não conseguindo se desprender o corpo do marido apodrecendo ali, ela com sede…

  • Filipe Bortoletto

    Eu tenho uma teoria do motivo pelo qual se usou tanto Jump Scare e se mostrou tanto o palhaço desde o começo do filme. Para mim foi proposital para que a gente tenha a mesma sensação de “eu não tenho mais medo de você” que os meninos tem no final.

    • Marlon Bachmann

      SIM! a primeira cena com georgie é aterradora, já no final, você está junto com as crianças.. ” morre logo palahaço fiu da p%¨&%#%# hehehe!

  • Filipe Bortoletto

    Acerca desse negócio da cidade no filme, creio que o corte final tirou muito desse desenvolvimento desse personagem (a cidade), em detrimento de trazer mais cenas das crianças com o palhaço.

  • Filipe Bortoletto

    O ator do palhaço faz Hemlock Groove da Netflix também.

  • Kenzo Okamura

    Achei o filme uma palhaçada

  • Victor Bosco

    Salve galera. O filme foi muito bom, ele me tocou de um jeito muito foda. Me identifiquei muito com o Bill, eu sou irmão mais velho também e se meu irmaozinho “desaparecesse” nas mãos de um palhaço, eu não iria descansar também.
    A nota do meu coração para o filme é 10/10

    Edit: tava torcendo pro pai da Bervely morrer da pior forma possível. Foi leve ainda a porrada na cabeça

    • Eu não li o livro ou sequer ví o It antigo, mas foi tão nítido saber que o pai da Beverly abusava dela, quando ele toca o cabelo e ela vai pro banheiro cortar.

      Ficou muito explícito. Aliás…tem várias coisas no filme que não precisa de uma fala pra explicar, os próprios atos falam por si só, tornando o filme 10/10.

      • Victor Bosco

        Sim, a cena dela chorando e cortando o próprio cabelo é bem marcante

  • Hyury De Carvalho Rabêlo

    Andrei eu sabia que conhecia a musica de abertura do cast de algum lugar… Ghost Hunt!

    Bem que a Darksiders podia trazer os livros que deram origem ao manga/anime. :(

  • “Ta parecendo aquele jornalista do blog de ovo” hehehehehehehe ja me ganhou ai

  • Luis

    Qual o link do site Magikando que o Andrei comentou?

  • O filme todo é muito bom, mas o que me arranca risadas até hoje quando o Eddie grita com a mãe, dizendo que ela dava GAZEBO ao invés de falar PLACEBO.
    Eu tive que me controlar no cinema pra não me tornar inconveniente de tão engraçado que achei.

    Depois do filme, comecei a pensar que a mãe dele dava esses “gazebos” (risos) pra evitar que ele saísse, pois ela deveria lembra do IT. Não sei se no livro explica isso, mas foi a impressão que fiquei. Mais alguém também achou isso?

    No mais, achei o podcast excelente – como sempre – e agora serei obrigada a comprar o livro porque não vou aguentar até 2019 pra ver a continuação do filme!!

    • Otto Calla

      Acho que não, a mãe do Eddie era só uma mãe megacontroladora, um tipo comum inclusive. Sobre a mãe dele tive a sensação de que ela estava sob influência da coisa o tempo todo, inclusive em alguns momentos achei que ela ia se transformar ali na hora.

      • Cara…faz sentido!
        Eu mega preciso assistir ao filme de novo, talvez tenha sido impressão minha mesmo.
        Eu tava meio eufórica, sabe? Posso ter visto coisa demais por conta disso, mas não cheguei a ter essa impressão de que a mãe dele poderia se transformar no It.

  • Otto Calla

    Sobre a maldição da cidade e sua área de percepção. Como disseram no episódio os adultos não percebem a presença de uma maldição. Os únicos que conseguem correlacionar os pontos são o “New kid on the block” que está a pouco tempo na cidade e foi pouco afetado pelos poderes da coisa até então. E o único adulto que diz claramente “aquela cidade é amaldiçoada” é o avô do Mike. Sendo que como eles moram na fazenda afastada da cidade e consequentemente do poço a atuação da maldição é menor. Acho até que é possível que a fazenda não fique “na cidade” pq o avô diz “aquela cidade” e não “essa cidade”. Como eu vi dublado não tenho certeza do original, mas……..

  • Yuri Peixoto