Mundo Freak Confidencial 148 – EQM – Experiência de quase-morte

Reproduzir

Algo nos espera do outro lado? As religiões dizem que sim e demonstram como evidência um estranho fenômeno que acontece em momentos derradeiros na vida de alguém, dos que voltam, relatam sensações e visões que deixam duvida na cabeça das pessoas. As EQM se tornaram motivo de estudo entre teólogos e cientistas, mas será que estamos próximos da verdade?

Nesse Mundo Freak Confidencial, acompanhe os investigadores Andrei Fernandes, Rafael Jacaúna e Igor Alcantara nessa viagem quase sem volta sobre a vida, o universo e tudo mais.

Download do episódio compactado em formato RAR. Clique aqui com o botão direita e selecione “Salvar Link Como“.

1111

 Comentado nos recados!


assine
Cole esse linno seu agregador de feed ou no iTunes na opção “Assinar Podcast” na aba “Avançado“. Se seu iTunes for o mais atualizado apenas coloque “Assinar podcast” na primeira aba do menu. Ou assinar direto pela iTunes Store, clicando nesse link.

E-mail

Se quiser assinar nossos programas e receber mensagens quando um novo episódio é lançado, faça o seguinte:

  1.  Clique no botão abaixo!
  2. Uma nova janela irá se abrir, então clique em “Use Recipe”!
  3. Efetue o cadastro com o e-mail que use com frequência e ao final clique em “Create Account” 
  4. Clique novamente em “Use Recipe” e pronto!

IFTTT Recipe: Receba os episódios do Mundo Freak por e-mail! connects feed to email

msg

Entre em contato com a gente, deixe seu comentário, sua revolta ou sua solução! Mande e-mails com sugestões, críticas, elogios, spams para contato@mundofreak.com.br ou siga-nos Pelo Twitter e curta nossa página do facebook.

Sobre Andrei Fernandes

Ver todos os posts

Designer, Ilustrador, aspirante a escritor, blogueiro e freak nas horas vagas!

26 Comentários

Participe da conversa →

Facebook

comentários

  • Sir Jones Kast, Ph.D.

    Ôoooooooooooooooo, papai, que delícia!

    E ainda nem escutei o da semana passada, tenso demais.

  • Murilo Staveski

    Olha ai, olha ai!

    • Sir Jones Kast, Ph.D.

      Me perdoe, mas quando li seu nome, eu li Murilo Travesti.
      Mera dislexia.

  • Ficou muito bom, pessoal! Adorei os relatos do Igor e do Jacauna! :D

  • Nyell Quantos

    O mais próximo que cheguei de um EQM foi quando chutei o cantinho do pé do sofá…

  • MarVin A. Barreiros

    Começando a ouvir agora. Andrei, é bom ter essa receita de cerol pra fio de prata. XD

  • Philippe Sartin

    Muito bom o episódio e o tema, aliás, já é bastante relevante. Gostei muito do relato do Igor. Acho que um recorte importante, que o próprio Andrei mencionou – ao menos implicitamente – é o da relação entre a mente e o cérebro; o problema, creio, é o da posição dualista, segundo a qual existiriam duas realidades distintas no homem: o corpo, a matéria, de um lado, e a mente, ou a alma de outro. Talvez o mais célebre pensador a sustentar tal posição seja mesmo o Descartes. A EQM, como foi dito, parece fornecer indícios desta posição, embora sejam, como tais, cientificamente inválidos. E mesmo na filosofia a posição dualista já está ultrapassada. Acredito que mais que desvendar completamente a causa da experiência, em termos biológicos, seja importante compreendê-la de um ponto de vista histórico-cultural. E aqui há o gancho para outro episódio: como o Andrei mencionou, o aspecto narrativo da experiência (a “jornada do herói”) é a sua mediação cultural mais evidente, e os relatos de práticas xamânicas (com todos os problemas do conceito) ou, mais geralmente, de viagens espirituais, presentes em muitas sociedades, guardam entre si, além de outras semelhanças, uma experiência, mais ou menos ritualizada, de morte, ou quase-morte. Sentir-se como morto, saindo de seu corpo e encontrando-se com espíritos ou seres fantásticos, para depois retornar, é o prelúdio mais comum da aquisição de poderes curativos. É interessante pensar, portanto, como essas narrativas antecipam o sentido das EQMs, e modulam a própria experiência. Deve haver uma narratologia da quase morte…

  • Bruno

    Olá! Sobre a ideia de que as experiências de EQM derivam de neurônios em falência, é válido pensarmos numa relação causal, no seguinte sentido: a experiência é causada pelos neurônios agonizantes OU os neurônios agonizantes se comportam daquela forma como consequência de uma experiência que a [mente, alma, psique, consciência] passa? Em outras palavras: o cérebro produz as imagens ou apenas reflete, bioquimicamente, o registro daquela experiência? Acredito que ainda não temos conhecimento suficiente para escolher qual opção é a correta. Abraços!

  • Bean

    Esse episódio não tá no feedback do Mundo Freak Confidencial.

    • feedback? Diz feed? Que agregador você usa?

      • Bean

        É Feed mesmo. O corretor me traiu. Eu uso o podcast addict, com url
        http://www.mundofreak.com.br/categoria/podcast/mundofreak-confidencial/feed/

        Eu só ouço o confidencial, que dava pra acompanhar por essa URL aí, com exceção desse último episódio. Eu testei em outra URL que encontrei contendo todos os podcasts do site e o episódio tava lá, mas gostaria de uma URL com apenas os do confidencial.

        Valeu por ter respondido Andrey.

        • Já corrigi o que rolou, em até 24h cai ai no teu agregador.

          • Bean

            ja caiu, valeu…

  • Sparkster

    Um tema muito bom, e extremamente complexo. O conceito de Alma, Consciência, Pós-Vida abre tanta aba pro debate, que cada um desses assuntos deveria receber um podcast dedicado. Em meio ao Podcast, o Andrei entro no Assunto de “se Maquinas teriam alma?”, isso me lembra do Legion um Personagem da série Mass Effect. Em um dos momentos mais triste da história dos video games, depois de uma série de missões que te fazem pensar para caramba no quesito Consciência, Livre Arbítrio, Ponto de Vista e Justiça, ele solta a lendária pergunta “Does this Unit have a Soul” ( Essa unidade tem uma alma? ). Enfim, um momento poderoso, de um historia primordial, que muito tem a ver com esse assunto.

    https://uploads.disquscdn.com/images/2eb8357646c0bc3515978a455a82eaaef2ffe024a6638900c17123964e529d92.gif

    • Nunca joguei Mass Effect infelizmente, me deu vontade agora.

      • Sparkster

        É um RPG/Third Person Shooter, a história inteira é dividida em 3 games (Acabou de sair um mais recente, mas é o inicio de outra saga com outro personagem). Com frequência a Trilogia inteira fica em promoção na Origin/PSN/LIVE por uns R$10,00 – 20,00.
        E para mim é uma das minhas franquias favoritas, a estrutura da historia é inacreditavelmente rica e bem escrita, as raças, governo, o passado da galaxia e afins, criam uma base crível e sólida para sua aventura.
        Durante a sua historia, personagens e momentos são muito bem dirigidos e criados, cada personagem com sua própria personalidade e historia, cada um com sua luta interna e ponto de vista, que você como player vai descobrindo aos poucos, eu até mesmo admito que cheguei a chorar algumas vezes enquanto jogava. O único problema atualmente, é que o Gameplay do Primeiro jogo, por já ter 10 anos é um pouco travado, mas nada que atrapalhe. Enfim, recomendo muito.

  • Muito bom o episódio!

    Foi bem legal as diversas visões sobre o tema e as visões de cada participante.

    Quem tiver interesse, esse artigo de 2015 faz uma revisão da literatura científica em torno do tema: http://dx.doi.org/10.1097/NMD.0000000000000205

    O legal que o artigo além da revisão da produção científica, 206 artigos, faz uma crítica metodológica bem interessante.

    Nuncas tive EQM, já fui levado ao hospital por estar com sintomas de infarto, mas o infarto em si não ocorreu, então não cheguei a essa experiência. Prefiro também não chegar nesse estado também rsrsrs

    Tudo de bom a todos!

  • Marcos Keller

    Adorei o Programa, é sempre muito bom ouvir esse trio, que me leva direto ao meu tempo como ouvinte!

    Tenho uma pseudo experiência de EQM, vou dar uma narrada aqui p vcs, apesar de que posso ja ter falado sobre ela em algum episódio.

    Uma vez em um hospital, bem zoado, precisei tomar uma injeção na veia de alguma parada cabulosa. Eu ja não estava bem, não havia comido por horas, não havia dormido, enfim, um caco, e a vontade ja tava fraquejando tbm. Então na hora da injeção a enfermeira não tirou o elástico do meu braço durante o injetar e por algum motivo eu apaguei tive um desmaio foda. O único da vida até onde eu sei. E então, eu estava em um lugar que parecia uma praia pelo som estranho de água que fazia, a areia era grossa e parecia ossos em vários momentos, de pessoas, animais e algumas outras coisas, tudo era cinzento, meio escuro e fresco. Ao longe com uma puta luz que dava a cara de “penumbra” do lugar vinha de uma cidade com altas torres que parecia uma projeção, não uma parada física dali. Fiquei horas ou mais no lugar, não senti medo nem nada, não era paz também, só aceitação. Perguntei para o nada o que era a cidade e o alguém que estava me acompanhando e aguardando mesmo não sendo visível falou “ali é a cidade onde mora o grande rei David”, e não me lembro se pedi para ir e ela disse que ainda não era hora. enfim, fiquei olhando para a cidade e acordei com minha mãe me esbofeteando a cara junto com a enfermeira, eu havia apagado por alguns segundos.

    beijo fretes.

  • FLAVIO

    Download do episódio compactado em formato RAR.
    ESTA DANDO ERRO

  • Marcelo SEP

    Eu tive uma experiência de “EVM – Eu vou morrer”, quase me afoguei no mar, fiquei quase 20 minutos lutando contra a maresia e senti minhas forças acabarem, foi quando tive a sensação do fim. Não senti paz, muito pelo contrário, foi horrível a sensação de impotência e começo de perda da lucidez e clareza.
    Ps. Sim, sua vida passa na sua frente em questão de segundos.
    Ps2. O cérebro vai ao limite do raciocínio, pelo menos a sensação é essa, vc pensa em 1 milhão de coisas ao mesmo tempo e algumas funções, simplesmente, “apagam”. Ex. Olho aberto na água salgada e não sentir incomodo por isso, entre outras coisas.
    Ps3. Essa experiência me mudou muito, sinto o valor da vida e está com família e viver as pequenas coisas, algo, que, até então, não dava valor.

    Excelente cast foi muito emocionante pra mim, pois pouquíssimas pessoas sabem do ocorrido e falar sobre ainda me incomoda muito.

    Abraços!

  • Marcelo Teixeira

    Fala, Andrei!
    Assunto muito interessante e complicado, justamente pelo fato de haver muitas teorias que justificam o fenômeno, tanto pela ciência quanto pela religião. Eu acredito que a EQM realmente exista. Afinal, há tantas coisas por aí nesse mundo que ninguém sabe como explicar sua existência.
    Uma coisa que foi comentada no programa foi o fato do corpo sentir seus momentos finais. Eu nem digo corpo, mas a mente parece saber o momento da sua morte. Já ouvi vários casos de pessoas que, poucos dias antes de sua morte, começam a sonhar com entes queridos que já morreram, ou mesmo se despedem da família um dia antes do falecimento.
    A morte é um dos assuntos mais curiosos da humanidade. Talvez por medo do invevitável? Não sei dizer. E assim como o Jacaúna, também tinha uma vontade de passar por uma EQM, mas também perdi a curiosidade após ser pai. Eu quero ver minha filha crescer e quero passar bem longe da morte. E por falar em Jacaúna, achei ele meio perdido com o assunto. Dei muitas gargalhadas com seus comentários. Rafael Jacaúna é uma peça que não poderia faltar no MFC. Ele é ótimo!
    Bom, é isso aí! Um ótimo episódio como sempre.
    Grande abraço!!!

    P.S.: E como é a vida de cético, não? o Igor teve uma EQM e mesmo assim não acredita. Tudo acontece em volta dele e mesmo assim não consegue enxergar.

    • Ué, mas acreditar em que exatamente? Que meu cérebro consegue produzir imagens de pessoas que eu conheci? Não precisei de EQM para isso, sempre quando sonho acontece a mesma coisa.

  • Darth Zveiter

    desculpem o atraso ,quero comentar o CONTATOS IMEDIATOS 05

    falaram varias vezes q ñ querem ofender ninguem ,mas pra quem defende o trump e o bolsonaro mandam logo se f****

    hahahaha basicamente um “respeitamos todo mundo des que pense como nós”

    #EstamosDeOlho #Paz

  • GusNoal

    Vou dar uns pitacos como médico:
    – É muito, mas muito comum que os pacientes, nos seus estágios finais da doença, revejam familiares mortos ou revivam situações do passado. Pacientes mais idosos, que já possuem certo nível de doença cerebral, apresentam isso mesmo não tão debilitados.
    – O definidor de morte é a função cerebral. Se os órgãos estão funcionando mas não há atividade cerebral, com ausência de fluxo sanguíneo cerebral, é declarada a morte encefálica. Mas isso precisa ser atestado por uma equipe de ao menos 3 médicos que realizam exames em tempos diferentes.
    – Em situações críticas, como infecções graves, problemas pulmonares ou cardíacos, onde o organismo está lutando de várias formas pra manter suas funções básicas, há um descontrole muito grande, tanto para mais quanto para menos, na produção e atuação de subtâncias que agem no cérebro, nosso órgão mais nobre. Soma-se a isso o uso de medicamentos dos mais variados, para sedação, anestesia, relaxamento muscular, controle respiratório, cardiotônico, etc, poderá induzir o cérebro a alucinações. O que não nos damos conta é que ouvimos, enxergamos, sentimos, cheiramos com o cérebro, não com os ouvidos, olhos, pele, nariz. Estes órgãos são meios de transformar estimulos em corrente elétrica, que é interpretado pelo nosso cérebro. Então, se nossas funções cerebrais estão descalibradas, nossas interpretações ficam perturbadas.
    – A última função da visão perdida é a diferenciação de luz. As pessoas podem não conseguir focalizar direito, diferenciar cores, formas, mas a diferença de claro/escuro fica preservada. Outra coisa comum é o efeito de visão em túnel, muito visto em pilotos a muitos G’s. Produzida pela baixa oxigenação na periferia da retina, produz uma perda do campo visual periférico, produzindo túnel de foco central.
    Isso pode explicar o túnel de luz percebido pelas pessoas.
    Basicamente seria doença grave + cérebro em alerta + drogas (medicações) + complicações clínicas = EQM.
    Apesar de tudo que escrevi aqui, eu acredito em EQM, pois pacientes relataram diversas vezes estas experiências. O que me faz acreditar é que ocorreram em pacientes em estados não críticos, com doença leve ou já controlada.
    Já ouvi relatos de católicos carolas, evangélicos, ateus, umbandistas, espíritas, mas nunca tiveram um viés religioso, tipo “São Pedro estava me esperando”. Sempre relatam a sensação de bem estar, de paz indescritível, de serenidade, a presença de familiares queridos em situações agradáveis, mas com a consciência de já estarem mortos/desencarnados. Nunca ninguém relatou pavor, medo ou algo parecido com o Umbral.

    Parabéns pelo ótimo cast. Este trio sempre tem uma boa sintonia.

    PS1 – Jacaúna, continue assim. É sempre bom ouvir tuas teorias. Deixam as minhas muito mais lúcidas.
    PS2 – Se precisarem de uma “consultoria” pra algum assunto médico, deem um toque.
    PS3 – Jacaúna, tô brincando! Kkkk