Resenha

Trem Para Busan- Um filme de zumbi…mas com muito espirito.

De tempos em tempos a industria do entretenimento se apega a um tema e o espreme até que a ultima gota de cifras caia dele. Isso resulta em ótimos produtos, produtos medianos, produtos ruins e desastres completos. Isso é fato!

No entanto, sempre existe uma parte da industria que pega o caminho que segue fora da curva e, quando o “hype” do tema já não está mais em seu auge, consegue trazer um ótimo trabalho dentro da proposta. Porém, em sua grande maioria , acabam relegados ao esquecimento por se tratarem de estúdios pequenos, ou estrangeiros, longe do glamour das produções hollywoodianas, hoje em dia infladas em orçamento e vazias em conteúdo. Esse “caminho fora da curva” é quase o caso do coreano Trem Para Busan. Sim, eu disse QUASE. Não por que a produção não entregue um ótimo filme. Ela nos entrega um filme SENSACIONAL!

O plot de Trem Para Busan, que você encontrará aqui no Brasil com o título devida e escrotamente trocado para um genérico “Invasão Zumbi” (car#*@#…que bosta de título…), se foca na relação conflituosa entre Seok-Woo, um homem completamente focado sem seu trabalho, e sua filha de 10 anos, Soo-An, a qual sofre pelo recente processo de separação dos pais, sofrimento esse aditivado pela distancia da mãe e a indiferença constante do pai.

E é justamente no aniversário de 10 anos de Soo-An que toda a trama se desenrola. Cansada da ausência do pai, ela pede para ser levada até a mãe, que mora na cidade de Busan. Muito a contragosto, mais por ter que adiar reuniões do que pelo fato de se separar da filha, Seok-Woo concorda em levar a menina até a mãe e ambos partem em uma viagem de trem. Acontece que uma das passageiras está infectada com um misterioso vírus (claro) e, como de praxe, começa a espalhar o medo, horror e desespero dentro do trem, transformando a gigante caixa de metal em uma prisão mortal em alta velocidade.

Olhando assim, o roteiro parece ser de mais um filmeco genérico de zumbi, não é? Mas não se engane! Trem Para Busan (me RECUSO a chamar de Invasão Zumbi! QUE TÍTULO RUIM DA [email protected]¨#%) é um filme não apenas tenso, frenético, angustiante e aterrorizante. Ele também  é um filme que traz força onde muitos dos filmes de mesmo tema falham: no carisma de seus personagens.

Vou traçar um comparativo aqui que poderá gerar uma onda de narizes torcidos, mas é uma grande verdade. Assisti Rogue One, novo filme da franquia Star Wars e prequel do episódio IV, e além de achar um filme que chafurda de forma negativa nos clichês, tem personagens facilmente esquecíveis. Eu não consegui sentir empatia com praticamente NENHUM dos personagens em tela (a não ser pelo único que NÃO ERA HUMANO. Aquele robô debochado foi sensacional).  Trem Para Busan não tem como fugir a todos os clichês, claro. Mas ao contrário de Rogue One, o diretor Sang-ho Yeon derrama astucia e sensibilidade em cada cena de modo que só ganham ainda mais força pelo excepcional trabalho do elenco. Eu me arrisco a dizer que faz muito tempo em que não me apego a personagens de modo a sentir e lamentar a perda de muitos deles durante o longa. E, tenha certeza, por ser um filme de zumbi muitos irão morrer, mas sempre de maneiras que irão flutuar entre o extremamente triste e o grandioso.

Ainda falando no elenco, o filme está ENTUPIDO de personagens carismáticos bem como de gente que você vai ADORAR ODIAR, o que só carimba o selo de competência do cast. Destaque para dois deles, sendo o primeiro o brutamontes Sang Hwa, vivido pelo ator Ma Dong-seok, que faz o papel de um tipico grandalhão com cara de mal mas de um coração imenso (e responsável por algumas das melhores cenas de porrada na zumbizaiada do filme).


O segundo é a pequena Soo-an, vivida pela atriz mirim Soo-an Kim, uma menina longe de ser aquela criança irritante que fica se enfiando em situações de risco de maneira burra e que, no final, só sabe gritar de maneira estridente e irritante te fazendo gritar pra tela “DEIXA ELA PRA TRÁS, PELO AMOR DE DEUS” (beijo, Dakota Fanning em Guerra dos Mundos). Não apenas a personagem é inteligente, sendo uma das primeiras (se não A PRIMEIRA) a notar que tem algo errado com o mundo, como ela também é carismática em um nível que você tem vontade de esbofetear o pai dela e gritar “CUIDA DIREITO DESSA CRIANÇA, INFELIZ”, coisa que o supracitado Sang Hwa quase faz um par de vezes (não foi a toa que o cara se tornou meu personagem favorito). Aliás, o talento da pequena Soo-an Kim é de uma magnitude de fazer inveja a muito ator consagrado por aí, sem exagero nenhum! Há uma cena no filme em que essa infeliz me fez chorar de um modo tal que eu não tinha feito desde Marley e Eu e Sempre ao Seu Lado (filmes que jurei pra mim mesmo JAMAIS ver novamente! Sou nordestino, já tenho pouco liquido no corpo pra gastar com baldes de lágrimas…snif…).

Pra encerrar, já que essa bagaça tá quilométrica, Trem Para Busan é um filme que MERECE ser visto! Sei que muita gente tem preconceito com filmes orientais (“ain, eles falam muito estranho”, “ain, é tudo muito esquisito”, “ain, eles são todos iguais…como vou saber quem já morreu?”), então eu lhe dou um conselho: SE DISPAM DESSES PRECONCEITOS! Caso continuem com eles, estarão perdendo a chance de ver um filme ESPETACULAR! A prova de que deixar esses preconceitos para trás é possível está na senhora Hellbolha, que pensava dessa maneira até ontem. Assim que o filme acabou ela disse “poxa…me surpreendeu.!” e agora está mais aberta a assistir mais filmes com “gente dos óio puxado”.

Como eu disse no título, Trem Para Busan é um filme de zumbi, mas carregado de espirito. Coisa que anda fazendo filme nos grandes filões de Hollywood…

Nota: 10

MUNDO FREAK NO APOIA.SE