Artigo

[Mistério] Pokémon Go, a conspiração

Salve, salve, nobres leitores. Aqui quem vos fala é o investigador Paulo Henrique e dessa vez vamos falar um pouco sobre a nova onda do momento. Prometi a mim mesmo que faria uma coletânea de casos brasileiros: focaria um pouco no folclore, na cultura, nas lendas do nosso lindo país, mas com esse lançamento lindo, diga-se de passagem, do novo jogo Pokémon Go não poderia perder a chance de falar da mais nova conspiração que espreita os cantos mais nebulosos da nossa internet. Hoje, vamos falar sobre Pokémon Go, a conspiração mundial.

Quem nunca sonhou em ser um mestre Pokémon? Sair pelo mundo caçando todos os monstrinhos e conquistar todas as medalhas? Bom, quem é da época em que esse desenho japonês — vulgo anime — marcou tantos momentos felizes, seja durante os minutos na televisão ou as horas jogando os jogos em consoles marcantes, como Game Boy ou Game Cube, sabe do que estou falando e sabe ainda mais o quão lindo é o novo jogo da Nintendo, produzido pelo Niantic, intitulado Pokémon Go. 

A ideia principal do jogo é realizar esse sonho. Abusando das novas tecnologias de realidade aumentada a empresa promete uma experiência totalmente nova na franquia de games Pokémon, onde o jogador poderá utilizar seu smartphone para enxergar e capturar os monstrinhos no mundo real. Não obstante, utilizando uma tecnologia velha conhecida nossa chamada GPS para melhorar ainda mais a experiência com os mapas de nossas cidades e a posição exata de onde estamos. Para quem sempre quis carregar literalmente Pocket monsters e presenciar mais de perto tudo o que um game desses pode proporcionar é simplesmente maravilhoso, mas é aí que começa realmente a nossa história.

Logo que iniciamos o jogo, somos coagidos a aceitar um termo de uso, nada fora do comum porque, afinal de contas, na internet nunca lemos o que assinamos, mas se dermos uma olhada mais a fundo neste contrato perceberemos alguns pontos peculiares: de cara, quando aceitamos, estamos concordando que o aplicativo tenha acesso total e irrestrito ao nosso e-mail e caixa de entrada, podendo assim garantir à empresa a possibilidade de ter acesso a todas as nossas mensagens por correio eletrônico. Seguindo mais um pouco, temos agora um termo que diz respeito ao uso da câmera, que afirma que as imagens podem ser utilizadas por terceiros – quase que um termo de imagem brasileiro, o qual você permite a utilização de sua imagem para passar em vídeos, televisão, filmes, etc.

Tudo fica mais complexo quando aceitamos um termo que diz que sua posição e localização ficarão salvos em um banco de dados. Nada muito diferente do seu sistema de localização casual, que tem um log que salva sua posição para fins de organização. Estaria a Niantic tentando nos controlar, sabendo nossa posição, o que conversamos e o que fazemos?

No fórum muito conhecido chamado Reddit, algumas semanas após o lançamento do Pokémon go em rede mundial surgiu um usuário chamado Satoshi42, que supostamente seria um funcionário da Nintendo, e este começa a divulgar longos textos de que a C.I.A estaria trabalhando em conjunto com Nintendo para obter informações “valiosas para investigações” e que todos esses termos seriam apenas para tornar tudo mais “dentro da lei”, e que logo teríamos uma resposta à altura de tudo o que aceitamos nesse contrato. O usuário foi excluído pelo dono alguns posts depois.

Claro, estamos na internet e ela é implacável, muitos internautas começaram a questionar a empresa sobre os termos de uso e logo receberam respostas dizendo que: os termos de e-mail são apenas um equívoco de palavras, pois eles nunca leriam mensagens e que apenas gostariam da permissão de enviar e-mails quando necessário, que ainda as leituras feitas pelos jogadores foi deveras errônea; o termo da câmera não se difere de outros aplicativos de foto e o de GPS basta você estar conectado à internet que esse log já existe.

Darei aqui a minha opinião sobre o caso, lembrando que ela é exclusiva minha, sendo que todos podem expressar suas opiniões nos comentários. Para mim, isso tudo não passa de uma grande pareidolia e uma besteira sem tamanho. Pensem comigo, amigos… se a C.I.A realmente quisesse nos observar ela faria isso sem pedir nossa permissão e ainda assim nem perceberíamos. Acima disso, por que cargas d’água uma das maiores, se não a maior, agências de segurança pública do mundo gostaria de monitorar o dia a dia de jovens jogadores de Pokémon? Eles não teriam algum Osama Bin Laden para procurar, em vez de ver o que você tem em sua casa? Digo mais, esses termos já são assinados desde sempre por usuários do Snapchat, Instagram, facebook, etc., mas, de qualquer forma, deixem nos comentários o que acham de tudo isso.

Pareidolia? Verdade? ou a C.I.A realmente está monitorando o mundo para descobrir quem são os verdadeiros reptilianos entre nós? Conte-me um pouco de como está a aventura Pokémon de vocês. Por hoje é só, obrigado a todos que ficaram até aqui e lembrem-se: Não olhem para trás.

MUNDO FREAK NO APOIA.SE