Mundo Freak Confidencial 77 – Reflexões e feedback

Depois de mais um 2015, cheio de gratas surpresas e trabalhos bem recompensados, chegamos em mais um episódio de reflexão. Largamos um pouco as rédeas de linearidade e abraçamos o glorioso caos.

No Mundo Freak Confidencial de hoje ler o feedback. Andrei Fernandes, Rafael Jacaúna e Igor Alcantara jogam as cartinhas pra cima enquanto nadam nesse mar de correspondências.

Hipertrophia Body Wear, sua loja carioca de fitness e moda praia.

>APOIE<

Banner

Comentado na leitura de feedback

Comentado no Episódio

  • Andrei se afogou nas cartas e está sendo resgatado, se tiver mais links ele posta depois;

banner

assineCole esse linno seu agregador de feed ou no iTunes na opção “Assinar Podcast” na aba “Avançado“. Se seu iTunes for o mais atualizado apenas coloque “Assinar podcast” na primeira aba do menu. Ou assinar direto pela iTunes Store, clicando nesse link.

E-mail

Se quiser assinar nossos programas e receber mensagens quando um novo episódio é lançado, faça o seguinte:

  1.  Clique no botão abaixo!
  2. Uma nova janela irá se abrir, então clique em “Use Recipe”!
  3. Efetue o cadastro com o e-mail que use com frequência e ao final clique em “Create Account” 
  4. Clique novamente em “Use Recipe” e pronto!

IFTTT Recipe: Receba os episódios do Mundo Freak por e-mail! connects feed to email

msg

Entre em contato com a gente, deixe seu comentário, sua revolta ou sua solução! Mande e-mails com sugestões, críticas, elogios, spams para contato@mundofreak.com.br ou siga-nos Pelo Twitter e curta nossa página do facebook.

Sobre Andrei Fernandes

Ver todos os posts

Designer, Ilustrador, aspirante a escritor, blogueiro e freak nas horas vagas!

169 Comentários

Participe da conversa →

[fbcomments]
  • inuyashagui

    Sob a luz mais intensa,
    Sob a noite mais densa,
    O mal sucumbirá ante a minha presença!
    Quem deseja a tristeza há de se estupeficar,
    Quando o MFC de feedback escutar!!!

    P.S 1: Mais dois podcasts do Mundo Freak? Morri!!!

    • Buhguul

      dois?

      cadê o outro?

      • Whatsapp do Costinha

        Atraixxxxxxxxxxxxx

    • Buhguul

      agora que eu ouvi eu entendi

      2 programas novos, não dois episódios novos. Aguardo ansiosamente

    • AslanternaRisesFromTheGrave

      Nossa… Me identifiquei com o juramento….

      • inuyashagui

        hAHHAHAHAHAHAHHA consegui fazer vc se manifestar aqui, depois de tanto tempo! 10 pontos para Grifinória!

        • AslanternaRisesFromTheGrave

          Um Lanterna Verde, mesmo acabado, sempre responde ao chamado…

  • E pra quem não quiser ouvir apenas feedback, fica a dica de um o último podcast que eu participei foi sobre relíquias míticas, o Geek Voz 172, que tem tudo a ver com o MFC e ficou engraçadíssimo! Olha o Jabáááááá

    http://geekvox.com.br/2015/11/geek-vox-172-reliquias-catolicas-de-cajado-a-sudario/

  • caindo baixando como uma fênix enlouquecida.

    • Baixando mais que capoeirista espiritual.

      • picando ouvindo feito um reptiliano cascavél.

      • Buhguul

        baixando mais do que porrada em reptiliano disfarçado de Mórmon

    • Buhguul

      baixando com mais intensidade do que a loira do Tchan

  • Buhguul

    Falando em Ashtar, quando vai ser o podcast de Ashtar Sheram?

    • Buhguul

      Parece que o atual Ashtar Sheram é Africano. Melhor fazer de tudo para evitar que ele te visite, Andrei

  • Buhguul

    como funciona esse esquema de pauta?

    você só levanta os tópicos pro tema ou faz uma pesquisa completa e entrega um relatório com resumo + a pauta propriamente dita?

    • Pesquisa completa. Só levantar tópicos não leva tempo.

      • Buhguul

        mas quantas páginas deve ter o ‘relatório’? Mais ou menos

        • Não sou dono nem coordenador do podcast. Não sei dizer ao certo. Mas eu imagino que não tenha um requerimento mínimo de páginas. O pauteiro teria que adicionar conteúdo até que os responsáveis julguem suficiente pra fazer um episódio embasado. Quando eu faço as minhas pautas, pros programas que eu participo, não só aqui mas em outros podcasts, eu gosto de ter material de sobra para que, durante a gravação, eu posso escolher sobre o que comentar de acordo com o encaminhamento da conversa. Mas prefiro que o próprio Andrei diga o que ele quer, visto que estou no achismo.

          Tu parece minha namorada perguntando quanto tempo a minha redação vai levar pra ficar pronta. Vai levar o quanto precisar. Não tem um mínimo fixo.

  • Buhguul

    Demônios não podem ter forma física, mas eles podem criar uma imagem mental e aparecer para as pessoas. Mais ou menos que nem os esquizofrênicos ou usuários de LSD veem imagem de coisas com forma física, a diferença é que eles veem a imagem de algo que tem algum correspondente na realidade(não sei se consegui me fazer entender). Isso costuma acontecer no fenômeno de obsessão demoníaca

  • Buhguul

    q?

    qualquer fato sempre deixa margem para dúvida

  • Buhguul

    Sobre o Padre QueMedo, ele nega que demônios existam. Mais contrário ao catolicismo que isso não existe. Eu vi numa entrevista dele no youtube, vou postar o link daqui a pouco

  • Buhguul

    Até hoje eu não consegui me conformar do Boitatá ser um dragão e não ter nada de boi

    • AslanternaRisesFromTheGrave

      Buguuuuu…. Como anda o Bidu?

      Hahá… Mas o Boitatá é uma serpente, não um dragão… Nem o arquétipo do dragão chinês (aquele serpente, mistura de todos os animais sagrados da cultura deles) cabe… Na verdade Boitatá é o fogo fátuo.
      Mas quando pequeno, eu já desenhei o Boitatá como um boi de fogo… Dane-se a história que a professora contou… Era BOItatá… Só faltava botar uma plaquinha nele, com o nome de Tatiane… :P

      • Buhguul

        O Andrei que falou que ele é um dragão

        • AslanternaRisesFromTheGrave

          Hahá, é mesmo…

      • inuyashagui

        Eu sempre imaginei o Boitatá como uma cobra com a cabeça de um boi na boca!!!

        • AslanternaRisesFromTheGrave

          Vish, um Alien Quimera… Esse foi bem original…

      • Buhguul

        Oi mamãe

        Eu ainda serei a estrela deste podcast. O Bidu que fique com seu quadrinho sem graça

        • AslanternaRisesFromTheGrave

          Mas acho que o Bidu pode merecer um MFC… Já notou o comportamento daquela pedra que sempre está com ele? Aquilo só pode ser de Vênus… Nada me tira da cabeça que ele já viajou por lá… Ele é mascote do Franjinha, e aquele guri já fez muita coisa que impressionaria até o Dr. Brown… Mas pedras com talentos é algo que só se tem registro em Vênus. Já vi relatos de coisas assim, como esse vídeo, trazido a nós por nada mais, nada menos que Chapolim Colorado….

          https://youtu.be/woxfIYJuTeQ?t=14m32s

          • Bugu

            E desde quando cachorros são azuis? Ou ele é de Vênus ou ele morreu afogado e virou um fantasma

          • AslanternaRisesFromTheGrave

            Não havia reparado…. O Bidu definitivamente é de Vênus… Mas o estranho é que ele não é cachorro de mulher, pois, pelo que sei, as mulheres são de Vênus… Tem muito mistério nesse caso…

    • Douglas Rainho

      Boitata é uma serpente…nome correto é mBoitata, mBoi = Cobra ou Serpente / Tata = fogo. Seria uma serpente de fogo.

      Mesmo que ocorre na cidade de São Paulo que tem uma estrada (e região) chamada mBoi Mirim, que seria Cobrinha ou Cobra Pequena, Serpente Pequena.

    • Petrus Augusto

      É uma cobra, mas sério… O nome para mim, nunca fez sentido..

      Uma COBRA, com o nome de BOI-tata.. Que porra é essa?
      O Douglas explicou abaixo (mboi-tata), mas mesmo assim.. Nunca pronuncia o ‘m’… Logo, é melhor deixar logo ‘cobra-tata’ ou algo assim.. Mas, BOI?

      Sério, quando era criança, isso rendeu varias discussões filosóficas!!

  • Eu entendo a galera que se incomoda com a invasão da cultura norte americana e pede por mais valorização da cultura brasileira. Mas, acho que falta lembrar aqui que não é por que somos ambos brasileiros que fomos expostos a mesma cultura. Eu, por exemplo, só ouvi falar de Saci, Mula-sem-cabeça, e outros personagens folclóricos, na escola. Ninguém na minha família, círculo social e amizades fazia menções a folclore. Este folclore não me pertencia. Não é como quem tem vó que fala do Saci e conta causos de quando ele aprovantava na fazenda, por exemplo.

    Todavia, eu fui diretamente influenciado por franquias de entretenimento extrangeiras, não só norte americanas, mas também asiáticas e européias. Querer exigir que as suas influências sejam as mesmas que a minha é a mais pura cagação de regra. Se você tem fortes laços culturais com o folclore brasileiro, ótimo! Celebre ele! Divulgue ele! Eu adorarei conhecer mais. Mas não exija que isso seja parte da minha cultura. A minha cultura a mim pertence.

    • Whatsapp do Costinha #Shurista

      Pior que o folclore brasileiro tem muitas coisas legais que ninguém conhece. Pouco se ouve sobre o Aho Aho, Mapinguari ou os índios-morcego

      • Se ninguém conhece, o folclore faz parte da sua cultura? Me parece que não.

        • Whatsapp do Costinha #Shurista

          Cultura é aquilo que te faz pensar e sentir. É muito pessoal. Por isso, escrevi folclore

          • Não questionava o uso da palavra folclore. Nisso, tanto faz. O intúito da pergunta é fazer você refletir o que faz parte da sua cultura e o que não faz.

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Se você não conhece, não pode fazer parte da sua cultura. É pessoal. Só acho que deveria-se divulgar nosso folclore além das versões pasteurizadas do Monteiro Lobato

          • Mas divulgar algo que você não conhece só para que fassa parte da sua cultura me parece um pouco… forçado. Exatamente o mesmo que os americanos fazem, por exemplo. Por que um é certo e o outro é errado? Talvez a falta de folclore brasileiro seja apenas um reflexo da falta de produção de entretenimento de massa no Brasil. Por exemplo, o EUA faz muito entretenimento de massa. Logo, a cultura deles acaba se esfregando na nossa. Se fizermos nossos próprios entretenimentos, nossa cultura teria mais relevância.

            Podcast também é cultura, também é entretenimento de massa. Podcasts brasileiros são feitos por brasileiros para brasileiros, ficam em servidores brasileiros, usam a língua luso-latina-pindorama e promovem encontros no Brasil. Não seria o conteúdo dos nossos podcasts parte do nosso folclore? Ritual é o que não falta: baixar, ouvir, comentar, twittar, etc.

            Se os podcasts brasileiros recebem influências norte americanas, eles são brasileiros ou gringos? Eu acho que o problema com o argumento do estrangeirismo é tratar cultura como bloquinhos sólidos que podem ser separados uns dos outros. Cultura é como líquido. Elas se misturam, se diluem. Não existe cultura mais certo ou mais errada, e achar que as tradições e folclores tem que ser estáticos é baboseira.

            Por exemplo, o Papai Noel moderno não existia antes dos anos 30. Criamos um ser folclórico moderno e passamos a celebrá-lo. Claro, este mito é baseado em outros mais antigos, mas é assim com todo mito. Tentar impedir mistura cultural é como ficar no ponto de encontro de dois rios e tantar pará-los com as mãos. Nenhuma cultura é sólida, muito menos estática.

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Mas é isso que estou falando. Lendas brasileiras, raramente, saem do meio acadêmico

          • Buhguul

            acho que nem no meio acadêmico, que obra decente sobre o folclore brasileiro que existe?

            ainda sem pedir que seja comparável ao que temos dos folclores mais famosos

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Está falando de entretenimento? Nenhuma. Ninguém tem interesse

        • Buhguul

          é folclore brasileiro, não seu folclore pessoal

          como se todo europeu conhecesse e tivesse experiência com as suas respectivas histórias folclórcas

          • E eu não disse que o folclore não é brasileiro. Eu não disse que é folclore pessoal. Estou apenas refletindo o quanto o folclore brasileiro tem de influência na cultura de cada um. Você misturou as bolas aí em. Justamente, se o europeu não tem contato com histórias folclóricas dele, elas são realmente dele? Só por que você nasceu em um país quer dizer que as histórias antigas daquele país fazem parte da sua cultura? Entendeu a discussão agora?

    • Douglas Rainho

      Lucas, entendi o seu ponto, mas cara, veja só, a gente é inundado de estrangeirismos sempre. O povo brasileiro é um povo meio sem raízes definidas, formado de múltiplas culturas e tal, temos muita coisa interessante dessa mescla. A questão não é a valorização do estrangeiro e sim a necessidade que há em invalidar ou desmerecer a cultura dos povos que formaram o país. A cultura africana, importada através dos negros escravizados, é fantástica, mas hoje todo mundo coloca tudo num só balaio e diz: É cultura dos Orixás! Não, não é! Tem Voduns, tem Inquices, tem Eguguns e tem deuses Egípcios (todo mundo esquece onde é que o Egito fica). Assim como temos coisas incríveis da cultura indígena, lendas e um folclore riquíssimo.

      Até mesmo quando se trata da nomenclatura as coisas são complicadas. O folclore dos outros é mitologia, o nosso é superstição. A cultura grega é linda, a cultura tupi-guarani é ridícula. Os Espartanos são foda, mas os Guaicurus são esquecidos. Os Espartanos perderam a batalha de Termópilas, os Guaicurus deram uma surra em todo mundo, espanhóis e portugueses, além de terem lutado na guerra do Paraguai também. Quem sabe disso? No one! (estrangerismos).

      Eu sou a favor de uma maior inserção de cultura e de estudos de mitologia comparada, que coloquem os mitos nacionais em pauta. Aliás faço um esforço hercúleo (outro estrangerismo) para isso no meu blog. Estudamos Homero, mas não Câmara Cascudo. Apesar que até Monteiro Lobato tão proibindo nas escolas, então tô começando a perder as esperanças.

      • Sim sim, eu entendo que somos inundados de extrangerismo. Mas por que isso é ruim? O Brasil sofre processo e imigração constante. Os escravos não eram daqui. Os Portugueses não eram daqui. Os europeus que vieram trabalhar na lavoura não eram daqui. Os japoneses que vieram do pós guerra não eram daqui. Os holandeses e alemãos que fizeram do Sul do Brasil sua morada não eram daqui. Os coreanos que estão vindo agora com as montadores não são daqui.

        As culturas tem que ficar segregadinhas, em caixinhas diferentes?
        Eu vejo a necessidade que você diz de invalidar a nossa cultura. Sim, eu vejo muitos invalidando ela e colocando qualquer coisa que vem de fora em um pedestal. Eu também acho isso problemático. Mas não precisa forçar todos a terem as mesmas influências. Seria bacana se as pessoas valorizassem o que é bom independente de onde vem, e não tivessem nenhuma bias com cultura extrangeira. Mas você pode muito bem gostar de algo extrangeiro e ainda sim valorizar o que é brasileiro.

        As duas coisas não são mutuamente exclusivas. Por exemplo, pra gostar de Neil Gaiman, eu não preciso deixar de curtir o Saci.

        Para um cético como eu, todo folclore é mitologia. É justamente por isso que gosto de aprender sobre todas as crenças, pois não segrego uma como mais ou menos importante que as outras. Eu não preciso acreditar pra gostar de aprender. Aliás, aprender sobre os índios é uma questão muito além do folclore. É história nacional. Tenho sim que aprender mais, mas não por que isso faz parte do meu folclore, mas por que faz parte da história da pátria amada salve salve.

        Por fim, vou levantar algumas perguntas para qual não sei a resposta, só por reflexão mesmo: um folclore específico é parte da minha cultura mesmo eu se não tiver recebido nenhuma influência sobre isso na minha vida? Ninguém nunca me falou ou tratou de Boitatá, além da escola, mas eu tenho que celebrá-lo como você parte da minha identidade? Não basta saber sobre o mito, sua origem e influência em outros? Quem define qual é a minha cultura? Eu? As pessoas que me influenciaram? Desconhecidos que foram criados em ambientes completamente diferentes que eu e não me conhecem?

        • Douglas Rainho

          Cara sinceramente? Acho que sim.

          Não sei onde você morava aqui no BR. Eu moro em SP, na capital, ou seja, uma mistura de tudo. Judeus de Higienópolis, A liberdade com chineses, japoneses e coreanos; a região da Móoca e Bela Vista com os Italianos, os Bolivianos do Bom Retiro, os Alemães de Moema, etc… Então mais misturado impossível.

          Porém, ando em uma Avenida chamada Aricanduva, subi para o Cangaíba, moro no Tatuapé, acabo por me perder lá no Anhangabaú, adoro comer nos restaurantes da rua Itapura e fazer compras no mercado da etc… O que tem em comum esses locais? Todos nomes indígenas.

          Se quero criar um animal exótico tem a Jibóia, que advém de Yiboya, que é indígena, etc…

          Minha esposa é meio-portuguesa. Quando os alunos dela vem para o Brasil, se chocam com tantos termos que para nós é português e para eles é alienígena, ou seja, estrangeirismo. Inclusive quando falamos do herdeiro do trono da Inglaterra, o tal do príncipe William. Para eles é Guilherme, até isso eles regionalizam.

          Entende o que quero dizer? Você conscientemente não está imerso, porém inconscientemente está.

          • Sim sim, entendo, e é por isso que eu disse que quero (e tenho) que aprender mais. Mas existe uma grande diferença entre entender a crença alheia, aprender história e geografia, e celebrar aquela cultura como minha. Nossa democracia vem dos gregos, nem por isso eu fico celebrando rituais gregos. Nossa escrita vem do latim, os números são árabes, e também não comemoro eles. Percebe a diferença?
            Eu não vivi como índio, nem entre índios, minha família não tem tradições indígenas, o lugar onde eu cresci não tinha folclore indígena; logo, me sinto distanciado da cultura indígena que, apesar de ter influenciado o lugar onde eu nasci (Piracicaba, nome indígena), não me influenciou da mesma forma tão direta.

            Me parece que essa busca por tradições já não tão lembradas vem da necessidade de construção de identidade própria. Os ingleses fizeram isso com os celtas, os alemães com os arianos, os japoneses com o distanciamento de sua origem sino-coreana, etc. Porém, gostaria que se atentasse ao fato de que você tem muito mais similiaridades com as pessoas presentes, mesmo que distantes, do que com as pessoas do passado. Isso acontece tanto em gerações (macro) quanto dentro da sua própria vida (micro). Eu com 50 anos vou ter muito mais em comum com as outras pessoas de 50 anos do que com eu mesmo com 23; eu com 23 anos tenho mais a ver com as pessoas de 23 anos do que com eu mesmo com 10 anos. A mesma coisa pra sociedade moderna versus sociedades passadas. Eu tenho muito mais em comum com as pessoas de agora, seja japonês, americano, russo, australiano, brasileiro etc, do que com o povo indígena do passado. Por isso, pra mim, é mais fácil construir minha identidade através do agora, independente de onde, do que através do antigo.

            Outro dia, eu estava estudando a história da China antiga que, infelizmente, aprendemos tão pouco na escola. Eu estava me amarrando e descobrindo muitas coisas da sociedade moderna que começaram por lá. Mas não significa que a China é parte da minha cultura. O mesmo pode ser aplicado com a cultura indígena brasileira. Seria extremamente benéfico se eu sobesse mais sobre a tradição indígena e suas influências no presente, mas isso não significa que isso vire parte da minha cultura. Muito cuidado quando você tenta definir a entidade cultural de outros através de regras baseadas na sua busca por identidade

    • Jonathan First

      VOLTA CASOS INSÓLITOS!

    • Buhguul

      E mais podcasts de ufologia. O último de ufologia brasileira foi sei lá quando

    • Henrique Tavares

      Pra mim MFC podia ser um revezamento eterno de Aconteceu Comigo e Casos Insólitos.

      • Ou eles podiam ser podcasts paralelos com menos regularidade. No final, da na mesma :D

        Eu gosto muito mais quando o MFC tem a pegada Arquivo X . Demônio e bruxaria tá ficando saturado. Tem tanto item maluco e acontecimentos não resolvidos pra explorar, e teorias malucas pra formular.

        Aliens.

  • AslanternaRisesFromTheGrave

    Putz, essa coisa de ouvido sensível realmente leva a muita interpretação… Tenho um ouvido bastante sensível… Ouvido felino. Ouvido de leão. Escuto muito mais do que quero, e muita coisa que realmente não quero… A intimidade dos outros não é nada legal… ¬¬”
    Quando o Jacaúna falou de ouvido sensível, interpretei isso de ouvido que escuta muito… Mas ahhh, é ouvidos que interpretas coisas diferentes… Já tive um bem intolerante no passado… Mas hoje é bem mais paciente. Infelizmente, quando tento estimular que os outros assim o sejam, soufro com a intolerância, e o preconceito é o que se faz ouvidos… :/

    • Ouvido sensível sobre a questão dos ouvidos sensíveis. Praticamente um inception podcastal.

      • AslanternaRisesFromTheGrave

        Quando dei ouvidos a essa discussão sobre ouvidos sensíveis, minha sensibilidade despertou reflexões distintas, mas que conversavam com exemplo do Jacaúna. Mesmo que seguissem uma interpretação diferente da interpretação que ele refletiu…

  • Jonathan R.

    Parabéns Mundo Freak! Um ótimo ano para todos, realizações, apostas que tiveram retorno positivo, e que 2016 seja muito melhor!

    Ano que vem já tem dois novos podcasts, desenvolvimento do roteiro do filme e quero ir buscar meu livro aí heeeein sr. Andrei Fernandes.. Com meu capuccino!

    Enquanto o novo ano não vem, ficamos na espectativa de Ashtar *-*

  • Whatsapp do Costinha

    Ainda estou com a música dos Cybercops na cabeça. I wanna be a shurista!

  • Whatsapp do Costinha #Shurista

    No dia temível
    Na noite furiosa
    Com nossos corações cheios e fortes
    No alma se acende
    Quando tudo parecer perdido na Guerra da Luz
    Olhe para as estrelas, para a Esperança que reluz

    • inuyashagui

      Hino a Ashtar!

      • Whatsapp do Costinha #Shurista

        Pode ser também. É o juramento dos Lanternas Azuis

  • inuyashagui

    Mais uma para acrescentar sobre o caso dos mormons repitilianos:

    Ontem, estava conversando com o Swami no grupo do Whats e ele me passou um clipe da música Follow The Signs da banda Born of Osiris, onde um grupo de “sacerdotes” encapusados fazem um ritual para invocar um ser de um outro plano. Quando o ritual se completa e a criatura chega ao nosso mundo, um dos sacerdotes tira o capuz e se transforma em um reptiliano!!!
    Vai ver que o professor viu esse clipe e essa ideia ficou no inconsciente dele. Quando ele teve lá a “crise de ansiedade” a ideia brotou e foi a forma que ele encontrou para explicar o que aconteceu.

    Abraço Swami!

    • Eu vi Born of Osiris no Mayhem Festival. Maneiríssimo.

      • inuyashagui

        Eu gostei do que eu ví no clipe, vou procurar eles no spotify

  • Thyago Lopes

    Olá Andrei, sobre o livro do Padre Quevedo (Oscar González Quevedo) procurei no site
    da editora loyola para ver se ainda tinha disponível. Só encontrei alguns outros livros do autor, decidi entrar em contato pelo telefone deles. Fui inicialmente atendido por uma funcionária que ao ouvir o título transferiu para outra funcionária, que acredito ser do administrativo. Fui super bem atendido e ela me informou que ele esta esgotado mas me passou o numero de contato da distribuidora na capital. Por sorte achei no site da Estante Virtual e no RJ =)

    • Bugu

      seria interessante ter dado a sugestão para eles lançarem como e book na amazon ou em algum outro lugar.

      no final esses livros acabam saíndo muito caros e com pouca tiragem, e atingem menos gente do que poderiam

  • gabriela de paulo

    na fala do igor sobre o moço com demônio no corpo e problemas com o português, lembrei daquele épico episódio de Hermes e Renato do filho do capeta hahahaha

  • Voltei!

    • inuyashagui

      Aeeeee! Estávamos com saudades do nosso cético-mor!

      • Só vc. rss

        • inuyashagui

          Engraçado que na minha cabeça, sua posição é de beliver-cético (tem um passado beliver e hoje pensa de forma mais crítica sobre os eventos) eu me classifico no canto oposto, me considero cético-beliver. A princípio sou cético mas se alguma coisa faz “logica” pra mim, tendo a acreditar kkkkk

          • Eu sou cético, bem cético, mas com experiência do lado crédulo da Força.

          • Quer dizer que eu sou fofo demais? Obrigado <3 hahahaha

          • É sim e isso foi um elogio. Eu queria saber ser assim.

          • <- vestir um chapéu de urso na cabeça ajuda a ter mais amor com a galera que acredita nas coisas não céticas.

          • Ter voz de desenho animado tb.

          • Hahahaahaha quem sabe eu não sou um desenho animdo?
            Um dia ainda gravo contigo também o/

          • Beleza!

          • Yoda já dizia:

          • Vitor Urubatan

            Irmão estou assistindo tudo de novo.
            Ontem terminei de ver o episódio 4.

          • Convenci minha namorada a fazer maratona, fiquei mega feliz! Aí descobri que ela gosta do Jar Jar.

          • Vitor Urubatan

            Binks?

            E vou te dizer que quem me convenceu a fazer a maratona é minha esposa cara. Ela é mega fã.
            Eu gosto da “festa” Star Wars, mas para ser bem sincero não sou tão fã assim. Eu acho maneiro a saga como um todo, mas para você ter uma ideia os meus personagens favoritos são os dois robôs. Porque não tenho tamanho apreço como geralmente a galera nerd tem.

          • E tem outro Jar Jar além do Binks? Que maneiro! Minha namorada não conhece quase nada, aqui em casa é o inverso então. Eu não tenho tanto apreço pela saga e pelos personagens também, gosto mais é do universo mesmo, como Jedis e Siths usarem lighsabers, os vários planetas da galáxia, guerra usando robôs vs. clones, naves espaciais, pods, etc. Quando eu era pequeno, eu era maluco por esse universo espacial, vivia inventando brincadeiras na base de Star Wars.

            Mas não vou negar, esse filme me pegou no hype de jeito. Eu to me sentindo feito criança! Acabamos a primeira trilogia e ela é muito mal feita. As cenas não tem timing, e quando é uma cena de ação que começa a empolgar,o George Lucas corta pra uma cena de conversa chata, no meio da briga hahaha. Mas só de ter as tretas e as guerras já fico feliz. A trilogia antiga tem mais pegada de aventura, acho que minha namorada vai curtir mais. Começaremos o episódio IV hoje a noite. xD

          • Vitor Urubatan

            Bom, eu conheço pouco e os nome são tão estranhos tipo “Doku”.
            Não tem como não estranhar o “Lord SiFudias” hahaha!
            Mas enfim, não acho o Binks um bom personagem, acho que poderia ser um excelente personagem se não fosse talvez pela o excesso da personalidade caricata do mesmo.

            Hahaha cara eu compartilho da sua opinião a respeito de StarWars esses primeiros episódios. Acho que a mitologia é muito bacana. A quantidade de raças e tudo mais. É claro que se resumem muito ao comportamento humano, já que o filme é feito para humanos rsss.

            Mas de todo modo é muito bacana esse universo todo, no qual permite você imaginar coisas novas.

            Inclusive os efeitos especiais do episódio 4 são tão bons e em alguns momentos melhores que os episódios 1, 2 e 3.

          • Então, o Binks é o alívio cômico pra crianças. Suas piadas são do tipo pastelão e fat jokes. Muito diferente do que estávamos acostumados na trilogia orignial, que tinha o C3PO como alívio cômico e piadas mais sarcásticas, mais inteligentes.

            Falando dos esfeitos especiais agora, eu não lembro de ter reconhecido CGI no cinema, pra mim tinha sido tudo bem natural. Mas eu tomei um susto quando revi recentemente os ep. I, II e III; é CGI mal feito pra TODO LADO. E pra deixar bem claro, eu não sou nenhum iludido que acha que os filmes atuais tem pouco CGI. Até as pessoas andando na rua e o scarros passando são todos CGI nos filmes e nós nem percebemos. Mas nos eps. I, II e III, foi feito de forma bizarra, parecia uma animação, não um filme. Talvez pelos filmes mais atuais terem CGI muito melhor, eu fiquei mal acostumado, e agora não consigo não reconher CGI ruim.

            Fica este vídeo excelente sobre o uso de computação gráfica:
            https://www.youtube.com/watch?v=bL6hp8BKB24

          • Vitor Urubatan

            Cara a CG nos epi. 1, 2 e 3 é complicado.
            Tem uma cena que o Kenobi está na biblioteca procurando dados de um sistema solar que não estão nos arquivos.
            No caso a bibliotecária vai ajuda-lo. Quando a cena abre e aparece mais do cenário, há uma pequena falha de montagem referente a perceptiva do cenário (No caso o ponto de fuga da cena) com a proporção e posição dos personagens.

            Coisas que no filme 4 por exemplo era resolvido com um cenário real.

          • Hahaha esse poblema de perspectiva acontece várias vezes no ep III com o fundo, especialmente em cenas de batalha. Nota-se um exagero do George Lucas.

          • Vitor Urubatan

            Sim, sim.
            Apesar de ser realmente uma obra (Ao meu ver) inferior aos filmes mais antigos. Tem coisas que incorporaram nesses que não tem nos antigos, como lutas bem coreografadas.

            O grande problema é que não dá para se basear na qualidade da obra apenas nas lutas. Se fosse assim era só assistir os filmes de Tony Jaa que estaria tudo de boa.

          • A luta do Obi Wan com o Anakin foi muito foda!

          • Vitor Urubatan

            Sim, sim é muito bacana mesmo.
            Porra é das poucas partes que gostei dos filmes quando ele grita.
            — Era para você ser o escolhido! Era para você destruir os sith. Não se juntar a eles!!
            Ai o Anakin para furioso olhando para ele grita:
            — I HATE YOU!
            E o Kenobi só responde:
            — And I love you brother!

            Porra que cena foda, porque o malandro realmente gostava do moleque. Praticamente foi o irmão mais velho dele. Então aquela era das poucas cenas que me capturou cara.

            Agora falando em lutas. Acho que a luta que mais gostei é do meu personagem favorito dos três primeiros episódios. A luta do “I will Found You!…” e o Kenobi Joven contra o “Darth Mala”.

            É uma pena que o personagem que mais curtia ficou no primeiro, pois se fosse ele o mestre do Anakin provavelmente não haveria Darth Vader.

          • Errado tá o Yoda de ter sentido dor e sofrimento por parte do Anakin, ter tido dúvidas sobre ele o tempo inteiro, e mesmo assim resolveu arriscar.

          • Vitor Urubatan

            É cara. Concordo de certa forma.
            Mas olha só se fosse o Liam Neeson (Agora lembrei o nome do cara) o mestre do Anakin, o garoto estaria na linha e não faria boa parte das coisas que fez ao longo da trama.

            O caso que o Kenobi era “imaturo” para cuidar de um garoto tão problemático.

          • Sei não, essa sua hipótese depende de vários pressupostos que não temos como saber. Vou numerá-los só pra ficar mais fácil de conversar sobre cada um de forma isolada:

            1. O fato do Anakin não ser bem treinado é determinante para que ele passe para o lado sombrio. Pode ser, por exemplo, que ele passase pro lado sombrio independentemente de quem o treinasse. Pra mim, me parece que o fato dele ter traumas e sufrimento, e o Palpatine saber explorar isso muito bem, são fatores muito mais importantes na virada de casaca do Anakin. Você pode ver no ep. III que, em uma cena, o Anakin se nega a ir pro lado negro e denuncia ao Mace Windu que o Palpatine é o Lord Sith. Na cena seguinte ele já é totalmente leal ao Palpatine, ao ponto de ir assassinar crianças pra ele. A bipolaridade e facilidade de manipular o Anakin me parece ser mais importante do que o treinamento Jedi em si. De forma mais simples: ele cai na pilha errada.

            2. O Qui-Gon Jinn saberia fortalecer o psicológico do Anakin pra não cair na pilha errada. Não sabemos se ele de fato conseguiria isso.

            3. O Qui-Gon Jinn foi de fato um mestre melhor e mais maduro que o Obi Wan. Isso é bem debatível. Em matéria de lutas, o próprio Yoda fala que o Obi Wan superou seu mestre, e o mesmo mostra capacidade de vencer inimigos mais difíceis. No quesito maturidade, você pode até estar certo, mas acho problemático culpa o Obi Wan já que ele estava fazendo alí o melhor que podia. Ele alerta o Anakin sobre o lado negro várias vezes, e o Anakin finge estar aprendendo (chega até a pedir desculpas por ser arrogante, mesmo sem ter real intensão de se desculpar). A culpa do Obi Wan é de insistir em treinar o Anakin, culpa da promeça que o Qui-Gon forçou ele a fazer. Se o Obi Wan estava tentando cumprir a promeça que o Qui-Gon pediu, a culpa não seria do Qui-Gon por forçar seu jovem aprendiz a insistir na criança que se tornaria evil?

            Eu acho que uma cagada desse tamanho é culpa de todo mundo envolvido. Culpa do Palpatine que queria dominar o império; culpa do senado que foi gradualmente entregando poder político ao Palpatine; culpa de todos os amigos do Anakin que não souberam alertá-lo da influência negativa do Palpatine, culpa do Yoda que foi benevolente; culpa do Mace Windu que não agiu sobre suas dúvidas e, no momento crucial em que poderia ter capturado Palpatine, preferiu tentar matá-lo, dando margem a chantagem emocional do Palpatine que convenceu Anakin a virar a casaca; culpa do Obi Wan que não soube treinar; culpa do maluco do Qui-Gon que mal conheceu uma criança escrava e já saiu insistindo que esta era “o escolhido”; culpa da Padmé que é uma bocó. Mas principalmente culpa do Anakin, que como o Obi Wan bem falou, tinha tudo pra ser O ESCOLHIDO, mas acabou sendo um merdeiro de primeira.

          • Vitor Urubatan

            Rsss certo vamos lá então.
            1 – Eu não nego que o Kenobi tenha treinado tão bem senão melhor que e o próprio Liam Neeson. O caso é que o garotinho tinha afeição pelo o mestre de Kenobi, logo essa simpatia o caracterizaria como um verdadeiro mestre.
            O fato do Anakin ter sido fiel ao “Papatine” lá, já entra no quesito fraco de argumento para o personagem. Pois ele havia voltado e denunciado a presença do Sith. E passa a mudar de ideia sobre o que fizera e logo por um ato impulsivo o mesmo abraça totalmente a causa.
            O personagem Anakin é um personagem (Na minha opinião) muito, mas muito mal construído. Pois ele traiu toda sua família para salvar a esposa e logo no final ele quase a mata a enforcando.
            Mas enfim, não vejo a bipolaridade do Anakin, vejo falha na personalidade como um pessoa fictícia. Mas tudo bem isso podemos discutir em um outra ocasião.

            2 – Acho que Liam Neeson poderia fazer do Anakin talvez não um Jedi perfeito, mas um cara como ele era, questionador e com vontades próprias. O caso é que Liam parecia ter uma personalidade mais aberta, tanto que ele botava fé no moleque. E como mestre vemos que o Kenobi se tornou um PUTA Jedi. Talvez ele não fosse um excelente Jedi como Kenobi era, mas certamente era um ótimo professor.

            3 – Como disse acima ser o mestre melhor até concordo contigo. Talvez não necessariamente melhor, mas diferente.
            Anakin era um caso mais raro e específico, nada melhor que um Jedi com características diferentes.
            O que mencionou faz sentido, pois Liam Neeson acaba sendo derrotado pelo Darth Mala. E o Kenobi o vence em combate.
            Mas acho que no quesito de maturidade e experiência do caro “I WILL KILL YOU!” acredito ser resultantes maiores no aprendizado do jovem Anakin.

            Também devo ressaltar que o Kenobi não teve culpa do que aconteceu. Ele fez o que pode (Como você mencionou) e ele custa a acreditar que seu aprendiz fez tudo aquilo (Eu mesmo também custei a acreditar, mas por motivos de roteiro e personagem hahaha).
            E no final ele dizendo que o amava, que era para ele ser o nice guy não o filha da p#*!.
            Isso só mostra que ele fez o melhor e o fez bem. Já que Anakin era superior em questão de luta. Mas como estava dominado pelas emoções perdeu o combate.



            Bom resumindo tudo aqui.
            Anakin só virou Darth Vader porque molequinho cortaram o cabelo dele daquela maneira horrível hahahaha! O garoto ficou revoltado e dai foi ladeira a baixo.

          • Cara, eu concordo totalmente com o Anakin ser um personagem mal construído. No final so terceiro filme ele fica malucasso, sai falando que vai matar o imperador e tomar o Império. As motivações dele ficaram todas confusas e a mudança de time foi muito mal justificada. Mas eu tenho que jogar com as cartas que tenho em mãos.

          • Vitor Urubatan

            Hahahaha!

          • Vitor Urubatan

            Rsss e muito show suas observações.
            Elas acabam por deixar meus pontos de vistas como possibilidades. Mas não certezas.

          • Hahaha eu pensava exatamente como você sobre o treinamento do Anakin com o Obi Wan. Foi só nessa maratona que fiz com a minha namorada que conseguir entender melhor a cagada da trama toda. Os Jedis pisaram na bola bonito. De repente eles descobrem que tem um EXÉRCITO DE CLONES e ninguém desconfia de nada hahaha.

          • Vitor Urubatan

            Aliás foram até coniventes com isso.

    • Vitor Urubatan

      Já estava ficando preocupado já cara.

  • Minionpornor

    Pra mandar um “Aconteceu comigo”, é no e-mail (contato@mundofreak.com.br) mesmo??

    • Buhguul

      parece que sim

    • Yep

      • inuyashagui

        Trabalhando ou dificuldade p dormir? kkkkkk

        • Trabalhando igual um filho de uma cabra

          • inuyashagui

            Boa sorte!

  • Bugu

    Se vocês continuarem a dar prioridade a emails sem conteúdo que pedem ajuda ou falam alguma maluquice, o pessoal vai começar a mandar trollagem. Se é que alguns desses seus emails já não são trollagem. Se ler o email não acrescenta nada para as outras pessoas, talvez só responder em privado seja uma opção.

    E ainda bem que vocês guardaram o telefone, senão daqui a pouco o pessoal iria enviar email maluco e colocar o telefone dos outros com fins sacaniís.ticos

  • Marcos Keller

    Igor!

    :D

  • Marcos Keller

    “Caraca Rafael, do que você esta falando?” – Fernandes, Andrei.

    • Bugu

      e todos os ouvintes quando o Rafael começa a viajar nas teorias malucas dele que todos nós adoramos

  • Antunes

    Tirando os especiais, eu não assistia Linha Direta. Assistia filme de terror e suspense, mas Linha Direta não :p

    • Whatsapp do Costinha #Shurista

      Porque o Marcelo Rezende parecia estar gostando

      • Antunes

        e planejando um algo mais.

        Mas falando sério, eu não gostava de saber a quatidade de assassinos em liberdade. O famoso “tenho mais medo de gente viva”. Teve um caso, por exemplo, que mostraram um homem matando em várias cidade, por um motivo supostamente sagrado. Um completo psicopata. Ai no final, me soltaram o “e fulano ainda está foragido”, e eu pensei o “eita p***a”. No outro dia era um monte de gente em pânico. Nem sabia que tanta gente assistia Linha Direta.

        • Whatsapp do Costinha #Shurista

          Pior que lembro exatamente assim

          • Antunes

            Do Marcelo Rezende

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Do HORROE, MEDO e DESESPERO da molecada no dia seguinte

  • Whatsapp do Costinha #Shurista

    Volta Livros Estranhos

    #512

    • Bugu

      tem tanto livro estranho assim por aí?

      • Whatsapp do Costinha #Shurista

        Manuscrito 512

        • Bugu

          tipo os caras encontram uma cidade em ruínas na Bahia que simplesmente desaparece?

          precisamos de um cast disso

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Isso mesmo jovem mancebo

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Pra quem reclama das nossas lendas nacionais. Tem boas, mas são cobertas por um mar de histórias pasteurizadas

    • Aproveita e coloca meu livro de Análise Financeira, do mestrado, na lista.

      • Whatsapp do Costinha #Shurista

        Coloca o Tipler também

        • Putz, eu adoraria gravar sobre teorias malucas de cientistas mas que são compeltamente não provadas pela ciência.

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Dawkins

          • Dawkins até que é bem embasado, ele só é agressivo com quem discorda dele. Agora pega esse link aqui. São 3 físicos, mais o host que é físico também, e um filósofo, tentando dar interpretações pros fenômenos quânticos no World Science Festival de 2014. Vale lembrar que as interpretações podem muito bem estarem erradas e variam muito, mas elas são independentes da teoria que está pra lá de provada.

            https://www.youtube.com/watch?v=GdqC2bVLesQ

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            verei em casa. Mas o fato de Dawkins ser tão hostil com críticos é que me incomoda. É um contrassenso isso. Não combina com um cientista

          • Eita, “não combina” é um argumento bem caído em. Por que ele tem que ser como você determina que ele tem que ser? Eu também não gosto da maneira como ele divulga ciência, mas não por que “não combina”. O método dele é contra-produtivo. Sou muito mais o Neil deGrasse Tyson. O Ceticismo seria o equivalente brasileiro do Dawkins. Esse método só causa polarização e afastamente da ciência por partes das pessoas que sentem suas crenças atacadas. O método Pirulla, ou Atila, seria o equivalente do Tyson, estendendo a mão pra essas pessoas verem que a ciência não está aí pra atacar elas.

            Todavia, eu estava falando de opiniões e hipóteses malucas não embasadas. Apesar do Dawkins ser agressivo, e isso ser um grande problema, ele é muito bem embasado.

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Não combina foi uma péssima escolha de palavras. O que me parece é que ele não aceita críticas

          • Muitissimo bem colocado. XD

  • Whatsapp do Costinha #Shurista

    Rafael deveria hostear. Só uma vez. Pra bagunçar um pouco o coreto

    • Bugu

      se o Rafael não hostear o podcast to Ashtar Sheram não vai valer

      • Whatsapp do Costinha #Shurista

        Ashtarcast

  • Whatsapp do Costinha #Shurista

    Por um cast da SCP

    • Bugu

      secury copy?

      • Whatsapp do Costinha #Shurista

        Entendi a referência. Não. Fundação SCP

        • Bugu

          eu também já sugeri, mas nem tem mistério no meio porque tudo é ficção, então não caberia no MFC

          mas teremos 2 programas novos, então pode ser

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Será? Ficção? Se alguém acredita, não é ficção

          • Eu acredito que to trilhonário. Ué, não era pra deixar de ser ficção? Por que to pobre ainda? hehehehe

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Te faltou fé

          • Que merda, ser atéu é nunca poder ganhar trilhões instantâneos hahaha.
            ASHTAR, I WANT TO BELIEVE!

          • Whatsapp do Costinha #Shurista

            Ashtar não traz dinheiro. traz iluminação

          • Iluminação traz sabedoria. Sabedoria traz felicidade. Felicidade é sexo, drogas e rock n’ roll. ASHTAR É ROCKEIRO!

  • Bugu

    teve um pauta livre news de folclore

  • Vitor Urubatan

    Rsss tarda mais não falha.

    • Bugu

      antes tarde do que mais tarde ainda

      • Vitor Urubatan

        Like Chapolin.

  • Vitor Urubatan

    Hahaha @lucasbalaminut:disqus tu és um cético fofo senhor Bahamut.

  • Vitor Urubatan

    Rsss esse episódio lembrou muito os FeedBacks do Grande Coisa.
    Que faz um apanhado de tudo que foi discutido e apresenta mais detalhes nos comentários e e-mails.

    Bom, referente ao conteúdo desse feedback. Estou um tanto surpreso com os e-mails de pessoas pedindo ajuda. Rsss talvez a galera não tenha entendido a ideia do programa.

  • Evandro Luiz Marcos

    Mais podcasts de ufologia, e chama o Carlos Alberto Machado que lançou o livro ” Olhos de Dragao”

  • Bugu

    e o melhor demônio de todos é o Satã de South Park, casado com Saddam Hussein