Artigo

[RESENHA] – LOVECRAFT

 

Autor que elaborou um dos universos mais perturbadores e inquietantes da literatura, Howard Philiphs Lovecraft dispensa apresentações. Seu nome já é sinônimo de mestre do horror e, como tal, inspirou e inspira toda uma geração de ficcionistas dentro e fora do gênero. É a vida desse verdadeiro ícone da literatura que a HQ Lovecraft romanceia e transforma em um memorável conto de terror.

Imagem: spandexless.com

Imagem: spandexless.com

Sinopse: “Howard Phillips Lovecraft foi um menino estranho, propenso a desvairados vôos de fantasia e uma predileção pelas trevas e o inexplicável. Oprimido por uma herança profana – um dom de percepção que levou seu pai a loucura – o jovem Howard descobre ser o relutante guardião do Necronomicon, um livro amaldiçoado que é uma entrada para o além. Da sua infância excêntrica até seu sucesso literário como mestre escriba de contos “bizarros”, H.P. Lovecraft perambula pela tênue linha entre a realidade e o horror angustiante “fictício”, na esperança de manter afastados deuses antigos e pesadelos vivos disformes. Uma esperança que está rapidamente definhando.” (Sinopse da Editora Devir.)

Com roteiro de Hans Rodionoff (O Homem – Coisa, Halloween Macabro) e Keith Giffen (Lobo, Marte Ataca!, Battle Royale), a HQ explora primorosamente a ideia de que o universo criado por Lovecraft é real e o autor sabia disso. Não é segredo que a escrita do velho Howard é tão convincente que é difícil não acreditar em uma ou outra coisa na obra como sendo real e, portanto, Lovecraft nos oferece uma passagem de ida para esse mundo ideal onde os Cthulhu Mythos não só são verdades como perseguiam o grande mestre do horror, quem for fã já está familiarizado com devaneios e teorias conspiratórias sobre o horror cósmico Lovecraftiano.

A história da HQ é impecável, o ritmo dos quadros e da passagem de páginas é sutil e a leitura se desenvolve bem rapidamente. O único problema é que muitos fãs podem querer procurar Lovecraft como uma biografia em quadrinhos e não vão encontrar isso, pois, mesmo que os roteiristas explorem os fatos verídicos da vida de H.P. Lovecraft, a proposta não é fazer uma biografia e sim uma história fictícia envolvendo a vida do autor. De fato, muitos dos acontecimentos retratados em sua infância e no relacionamento com Sônia Greene são ligeiramente deturpados a favor da história. Além disso, não é possível bater o martelo para dizer se a personalidade do Lovecraft real é compatível de fato com o personagem roteirizado por Rodionoff e Giffen, mas uma certeza nós temos, o protagonista desta HQ é o ideal que quase todos os fãs possuem do autor, um homem de infância conturbada, tendências depressivas, recluso, altamente intelectual e polímata e, acima de tudo, muito perturbado, muito mesmo.

Em outras palavras, o Lovecraft de Lovecraft (perdoem a repetição irritante) é um personagem dos Cthulhu Mythos muito mais do que um escritor de weird fiction das primeiras décadas do século XX. Mas não se engane, a leitura desta HQ pode te fazer aprender bastante sobre a vida real do velho Howard, portanto, a HQ proporciona entretenimento e aprendizado ao mesmo tempo. Vale muito a pena.

A arte da HQ, realizada por Enrique Breccia (Batman Preto e Branco) é um destaque a parte, bonita, expressionista e surreal ao mesmo tempo. O traço varia, causando uma sensação de quebra da sanidade. Às vezes os desenhos são regulares e claros, mas logo alternam para uma arte ofuscada, tenebrosa, quase como se encoberta por uma névoa ou vista debaixo da água, tudo isso, somado ao roteiro, nos dá a nítida impressão de que Lovecraft é uma história que beira a fronteira da vigília e do mundo onírico.

 

Quanto à edição disponível para nós freaks brasileiros, é mais um trabalho de alta qualidade lançado pela editora Devir, traduzido a partir de uma edição da Vertigo. A capa é uma brochura resistente em tons de sépia, emulando uma página perdida de algum grimório antigo, as letras da capa e contracapa são colocadas em negrito e em forma de caligrafia rebuscada. O interior da HQ possui uma excelente introdução feita pelo cineasta John Carpenter e o papel é resistente e realça as cores irresistíveis de Breccia.

Não cometa a heresia de ler a esta HQ sem antes dar uma conferida nos posts que o Mundo Freak tem sobre Lovecraft e sobre o Cthulhu Mythos. O exemplo mais fresquinho é a noticia de que o grande mestre Alan Moore planeja uma HQ biográfica de Lovecraft, vamos ver o que virá, com certeza é coisa boa, já que vem do bruxo de Northampton.

Se você procura uma biografia de H.P. Lovecraft, espere o trabalho de Moore ou leia A Vida de H.P. Lovecraft – S.T. Joshi (Hedra, 2014). Agora, se você quer uma viagem insana e memorável pelo hostil e inquietante universo dos Cthulhu Mythos ao lado do grande Howard, freak oldschool de carteirinha, é urgente que você leia a HQ Lovecraft

 

Informações Técnicas

Título – Lovecraft

Editora Devir

Nível de Leitura: Fácil

 Nota: 5/5

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUNDO FREAK NO APOIA.SE