Artigo

Área 51 – Parte 1: Por baixo dos panos governamentais!

Um lugar onde se dizia ver de tudo, onde a ficção se torna real e a linha que divide a realidade do imaginário. Acompanhe-me nos mistérios, conspirações, lendas e mitos de um dos lugares mais emblemáticos da América do Norte – se não do mundo. Vamos olhar por baixo dos Panos Governamentais da Área 51.

Salve, salve nobres leitores, aqui quem vos fala é o pesquisador Paulo, apresentando a minha primeira aventura ao redor do mundo, documentada em duas partes:  relatos e desmistificação acerca do assunto. Primeiramente, iremos retirar aquelas dúvidas mais recorrentes de todas as pessoas que se interessam pela “Área 51” como por exemplo: Este lugar realmente existe? A resposta é simples meu caro, sim esse famigerado local se encontra a aproximadamente 130 km de Las Vegas no condado de Lincoln, Nevada e faz divisa com o Nevada Test Site (NTS). A área base para testes de armas nucleares e seus efeitos,  experimentos no deserto e é até mesmo visitas. E para quem ainda está perdido fica nas redondezas da Montanha Yucca um dos maiores depósitos nucleares do mundo (guarde esta informação será importante para debates futuros).  Deu para perceber que não poderia ser simplesmente uma base militar. Respondida a pergunta, vamos ao que interessa desmistificar, levantar hipóteses e até mesmo sanar algumas perguntas mais especificas sobre o assunto.

Area 51 - Mundo Freak

 

História

A área 51 é uma base militar criada pela CIA (Agencia de inteligência central) na década de 1950 com objetivo de pesquisar e testar projetos militares mais sigilosos, o local era tão secreto que o governo dos Estados Unidos da América só admitiu sua existência oficialmente em 1994 em um documento enviado pela CIA ao pentágono, o documento dizia que lá eram conduzidos testes de aviões e armas. Porém, como eu vos pergunto; o governo americano conseguia esconder um complexo com cerca de 1552 Km² e a resposta é simples, este jogo de esconder era levado tão a sério que a CIA retirava as imagens dos satélites que captavam acidentalmente fotos daquele local e incrivelmente mudavam informações para alegar que aquele lugar nunca existiu, todavia, na década de 1970, satélites russos “acidentalmente” viraram suas câmeras para a região do deserto de Nevada e conseguiram imagens incríveis incluindo a área de testes. Cada vez mais era difícil esconder  do público, contudo, a CIA sempre conseguia dar a volta por cima e sair como heroína. Tudo veio por terra quando civis começaram a entrar em território proibido pelo governo e ser retirado à força de lá e com o passar do tempo os órgãos governamentais não conseguiam mais esconder, foi então que oficialmente admitiram toda a história da existência do local.

placa area 51

Relatos.

A partir desse momento as coisas começaram a sair do comum, quando a existência foi confirmada várias teorias conspiratórias foram criadas e moradores da região começaram a aparecer aos montes dizendo terem visto naves espaciais, alienígenas e criar história das quais até hoje ninguém consegue provar sua veracidade. Luzes nos céus, aeronaves desconhecidas, sons misteriosos e desaparecimento de pessoas que obtinham “informações” acerca do local eram frequentes na década passada, quando supostos funcionários que diziam ter trabalhado na área 51 vinham ao público e contavam sobre seu cotidiano. As histórias eram incríveis e chamavam muita atenção, o que possivelmente incentivou “histórias” vindas daquela direção.

Alguns casos ficaram mais famosos como a história do físico Robert Bob Lazar que fez revelações espantosas sobre o que vivia todos os dias, na época em que trabalhou durante 5 meses nas instalações a partir de 1988.

“Quase todos os dias eu pegava o avião em McCarran e ia à ‘Fazenda’, onde trabalhava em tecnologia revolucionária”

Segundo o físico, o governo americano estava pesquisando nada menos que nove discos voadores. Em 1989, no momento em que Bob Lazar veio as mídias contar suas histórias, causou enormes confusões quando revelou que o complexo da área 51 não se resumia apenas no que era visível, e as pesquisas mais sigilosas eram conduzidas em um local interior chamado S-4. Conta também o cientista que ele e mais uma equipe de 22 engenheiros contratados para estudar os sistemas de propulsão dos discos voadores praticando a engenharia reversa.

Bob Lazar

Bob Lazar

“As naves que examinei não possuíam juntas aparentes, nenhuma solda, parafusos ou rebites. As bordas de todos os elementos da espaçonave eram arredondadas e suaves, como se tivessem sido feitas com cera quente submetida a um rápido processo de resfriamento”.

De acordo com seu relato, haviam arcos e pequenas cadeiras de somente 30 cm de altura no interior dos veículos mas o  mais intrigante era o sistema de propulsão das aeronaves: tinha o tamanho de uma bola de beisebol e irradiava um campo antigravitacional encontrada verticalmente no centro da nave. Lazar, como um bom estudioso, ativou seu modo curiosidade e começou a pesquisar tudo o que ocorria no famigerado setor S-4 foi quando recebeu uma carta que confirmara todas as suas suspeitas, constituída de informações sigilosas sobre OVNI’s (Objetos voadores não identificados).

…inclusive fotografias de autópsias de pequenos seres cinzas com grandes cabeças calvas. O governo estava escondendo da população fatos da maior gravidade, e tudo aquilo estava sendo feito em Groom Lake, mais precisamente em S-4″ – Em entrevista para a revista UFO.

Td Barners em entrevista inédita ao canal Discovery Science disse que trabalhou na área 51 por 30 anos e normalmente em seu cotidiano de trabalho aconteciam coisas que não conseguia identificar, e que as tecnologias que lá são desenvolvidas até hoje são confidenciais e 99% ainda é obtida como segredo de estado, porém, Barners ainda nega dizer sobre os objetos voadores que lá eram testados; sabendo da genuinidade que Barners realmente trabalhara no local , o fato do cientista negar falar sobre os discos voadores apenas aumenta a curiosidades de todos os fãs do assunto.

Td Barners

Michael Dinan, piloto comercial de jatos já aposentado também dá uma entrevista ao canal Science sobre o que era avistado na área 51 em 1988.

“Eu estava voando após sair de São Francisco, aproximadamente 1:33AM e nós estávamos aproximadamente 4 milhas(6km) leste da área 51 quando recebemos um aviso da torre de controle que dizia que nós precisaríamos fazer um retorno, após receber estas ordens eu virei para a esquerda e quando olhei pela janela falei ao capitão que estava comigo: “o que está acontecendo lá em baixo!” era como se fosse um holograma, você podia olhar através dele. E neste exato momento ou avistei como se fossem diversos vagalumes que desciam dos céus e um a um iam pousando de uma maneira anormal na área 51. Isto não poderia ter sido feito por humanos, é inacreditável.”.

Esta experiência deu a Dinan um teoria acerca da área 51:

“Eu acho que nós temos tecnologia alienígena em nossas mãos, mas o governo esconde isto de nós”.

Michael Dinan

Michael Dinan

Após a morte do cientista, Boyd Bushman, foi divulgada uma filmagem na qual o especialista afirma ter trabalhado no estudo de naves e corpos extraterrestres em uma base secreta da Força Aérea dos EUA. O importante ex-pesquisador da corporação aeroespacial Lockheed Martin – uma empresa fabricante de produtos aeroespaciais criada em 1995 – mostra uma série de fotos correspondentes a diferentes tipos de alienígenas e naves espaciais que, segundo ele, foram feitas com câmeras descartáveis na área.

“No que se refere às naves extraterrestres, contamos com o apoio de cidadãos norte-americanos, que trabalhavam 24 horas por dia estudando os OVNI’s. Procuramos entender o que deveríamos fazer”.

Ele explicou também que existem dois grupos fundamentais de alienígenas atualmente em estudo:

“Parece um rancho. Um grupo é de vaqueiros e o outro é de ladrões de gado. Os vaqueiros são mais amistosos e se dão melhor conosco”.

Afirmou Bushman. No vídeo , Bushman conta sobre seus relatos.

“Eu sempre me perguntava quem estava voando nestas coisas, criaturas de 4 à 5 pés de tamanho” relatou Boshman. E mais, os seres extraterrestres não se comunicavam de uma forma comum, não mexiam nem mesmo seus lábios, e ele não entendia o que estava criando, apenas uma voz que dizia para ele fazer isto, fazer aquilo, construa isto, construa aquilo e quando percebia eles estavam inventando coisas sem entenderem o propósito. “Eu perguntei como eles se comunicavam, e as respostas vinham para a minha mente com a minha própria voz, eles podiam utilizar sua própria voz com telepatia para conversar com você.” O planeta dessas criaturas está a 6 anos luz do planeta Terra e supostamente possuem tecnologia para ir e voltar em 10 minutos. No vídeo completo o cientista mostra mais imagens dos extraterrestres e ainda conta outros ocorridos nas pesquisas da área 51.

Agora meus caros, peço que pensem e digam o que acham, vamos apostar algumas fichas, deixem abaixo as suas opiniões e vamos discutir um pouco ao longo da semana. No próximo post  irei dar o veredito final. Até  e não confiem em ninguém.

Artigo escrito pelo colaborador Paulo Henrique Dondalski de Souza.

MUNDO FREAK NO APOIA.SE

Casal Warren – Fato ou Fake? | MFC 326