Mundo Freak Confidencial 31 – Criptozoologia

Fala freaks!

Criaturas horripilantes, monstros cruéis que se escondem nas sombras ou animais fantásticos. Será que existe ainda segredos do nosso mundo? O estudo de animais misteriosos existe e essa é nossa primeira abordagem sobre criptozoologia.

O investigador Andrei convida o os investigadores Leo Mitocondria e Igor Alcantara para falar dos mais bizarros monstros que existem (ou não) sobre isso.

Comentado no Episódio

– Grupo do MFC no Facebook;
– Página do Google+;

assineCole esse linno seu agregador de feed ou no iTunes na opção “Assinar Podcast” na aba “Avançado“. Se seu iTunes for o mais atualizado apenas coloque “Assinar podcast” na primeira aba do menu. Ou assinar direto pela iTunes Store, clicando nesse link.

E-mail

Se quiser assinar nossos programas e receber mensagens quando um novo episódio é lançado, faça o seguinte:

  1.  Clique no botão abaixo!
  2. Uma nova janela irá se abrir, então clique em “Use Recipe”!
  3. Efetue o cadastro com o e-mail que use com frequência e ao final clique em “Create Account” 
  4. Clique novamente em “Use Recipe” e pronto!

IFTTT Recipe: Receba os episódios do Mundo Freak por e-mail! connects feed to email

msg

Entre em contato com a gente, deixe seu comentário, sua revolta ou sua solução! Mande e-mails com sugestões, críticas, elogios, spams para contato@mundofreak.com.br ou siga-nos Pelo Twitter e curta nossa página do facebook.

Sobre Andrei Fernandes

Ver todos os posts

Falando de podcast com muita ousadia, alegria e misantropia. Também autor do livro Kalciferum, chanceler supremo do Freakstão e morador de Setealém.

42 Comentários

Participe da conversa →

[fbcomments]
  • Geisa castro de souza

    Gente, seria muito necessário que deixassem o nome das criaturas listadas pelo menos, já que colocam poucos links, nem tudo o google encontra colocando uma escrita parecida.
    baw baw ou bau bau da filipina junto ou separado não encontrei por exemplo, ainda mais as japonesas, tirando o kappa…

    • Boa ideia, Geisa.

    • Concordo Geisa, Andrei zé preguiça precisa melhorar esses links ai.

      • Geisa castro de souza

        O André não quer dividir views e mentions com ninguém, está pior que o Tourinho do Pauta Livre News rs

      • Deixa eu defender o chefe, não é preguiça. O problema é que se colocar a lista com os nomes, estaremos dando spoiler do episódio.

        • Geisa castro de souza

          Para mim que não conhecia todos, não fica como spoiler, mesmo porque só o nome para quem não conhece não quer dizer muita coisa, para quem conhece mostra a variedade e acho que essa história de spoiler está super valorizada, que nem o termo bullying

        • buhler

          Igor, e se fosse colocado os links no episodio depois? tipo la no do kaspar hauser, colocar “comentado no episodio anterior: e dae os links do que foi comentado” seria um meio legal, até pra gerar uma espectativa para o episodio seguinte =p

  • Geisa castro de souza

    http://ahduvido.com.br/200-criaturas-miticas-parte-1 e http://ahduvido.com.br/200-criaturas-miticas-parte-2

    Nem tudo faz parte mesmo da criptozoologia mas é bem legal, eu procurei vermes em biologia mesmo no deserto, mas não encontrei nada a respeito.

  • Adriano Melo

    Aqui estou mais uma vez, e hoje sem polêmica para ter meu e-mail lido no ar. =D

    Achei bem curioso o episódio, a principio pensei que o tema seria sobre monstros que possívelmente existiriam, mesmo que com pseudos provas altamente questionáveis, mas no decorrer do programa tive a impressão de que a coisa foi mais pro lado da lenda urbana do que dos monstros em sí. Não que isso seja um problema, mas enfim… Vou comentar alguns casos:

    Baubau: Comer mortos tudo bem, acho até legal a criatura contribuir para a limpeza dos cemitérios, mas colocar um tronco de bananeira no lugar do morto? O quão zoado isso é? Fico imaginando o bicho tendo mó trampo de ir num bananal de machado, cortando o tronco, depois indo lá no velório, enfeitiçando a galera e largando lá o tronco no lugar do defundo… Não sei se a criatura é real, mas sei que ela não é nada prática.

    Verme: Uma criatura grande que deve gastar uma energia danada pra cavar e viver naquela região deve se alimentar de que? Não sou expert mas acho que não tem como ela tirar nutrientes suficientes da areia.

    Japoronga das duas bocas: Fico pensando como um lenhador consegue acertar um machado “acidentalmente” na cabeça da mulher. Não sei se vocês sabem mas entre alguns dos meus talentos está o de lenhador (as provas estão no facebook) e posso lhes garantir que a unica maneira de isso acontecer é se a mulher “acidentalmente” pular a cerca com o vizinho ou “acidentalmente” estourar o seu cartão de crédito.

    • hahahaha, isso porque não foi polêmico. Eu concordo com você, esses bichos não são nem um pouco práticos, por isso que foram ou estão perto de serem extintos.

  • wagner

    vale lembrar que aqui em Recife temos uma famosa lenda sobre uma perna cabeluda que vaga no recife antigo, relatada por diversas pessoas.,.. parabens pelo cast andrey e equipe!!!

  • Ricardo A. Santos

    Olá, X-Files. Foi o episódio mais livro dos monstros de RPG até agora, juro que
    fiquei pensando no XP de cada monstro que apareceu. Sem piadinhas agora,
    foi um excelente jeito de mostrar criaturas que não dariam um podcast
    inteiro, só senti do Mokele-Mbembe aí e uma lista dos monstros apresentados no post, demais excelente episódio.

  • Romulo

    Excelente, lembro que o Mothman que vocês já trataram é um criptido . Vocês misturaram lendas de fantasmas e metamorfos com criptidos. porém foi legal. No caso do Japão/Ásia aqui mostra uma boa descrição do cenário:
    http://anime.com.br/monstros-e-fantasmas-japoneses/

    No Brasil é o tatu beba que é conhecido por comer cadáveres.
    Lembro também que quando pitvete escutei muitas histórias de parentes sobre a curacanga e a matinta pereira. No interior lá nas matas do Maranhão ou Pará o cara quando fica abestado(perdido) em mata próxima de casa se atribui isso a alguma cobra atraindo ou as vezes algum tipo de cipó ( não lembro se era o chumbo) liberando moléculas que abobalham o cara, uma parente teve que ficar gritando até ser escutado, estava perto da casa dele. Já escutei histórias de feiticeiros, ou ditos pajés na região (não necessariamente indígenas ) que viravam bodes, outras de que certas pessoas perversas na verdade não eram pessoas e sim jararacas e isso não era enredo de novela, Acreditem!
    Vou falar da sucuriju ou bouina que pode ser considerada uma espécie de criptido. já escutei a história de um parente que trabalhava como médico viajando pelo interior da amazônia paraense. Faço um parágrafo ou parêntese com algumas verdades que podem não agradar alguns leitores, mas aqui é pra ser freak:
    (Numa época em que os médicos eram pagos pelo governo federal e não tinha esse papo furado de falta de médico. Essa mentira de falta de médico começou com a ser montada no governo do socialista fabiano/gramscista FHC e culminou com a bolivariana/castrista Dilma e sua invasão de militares cubanos. No Brasil não falta médico! Falta é honestidade de pagarem os médicos corretamente e fornecerem apoio logístico para o serviço ser feito direito. O que fizeram foi criar o problema para depois venderem uma solução falsa e traidora da pátria. Já funcionava assim com o governo federal pagando para o serviço em regiões inóspitas e agora vem com esse papo furado para empurrar guerrilheiros e especialistas em agitação, como já fizeram nos países vizinhos da Bolívia, Equador e Venezuela.)
    Depois dessa freak sinceridade , o acesso é sempre feito de barco nas regiões ribeirinhas, os barcos de madeira com motor disponíveis na época, eram na maioria para 8 ou 10 pessoas quando muito.
    Continuando, algumas vezes, se teve o azar de entrar na rota e horário de movimentação de uma sucuriju / boiuna seja lá o que tipo era, na primeira vez , você olhava para trás do barco e via o mururé (planta aquática) abrindo e sendo empurrado na direção do barco desafiando a correnteza gerada pelo barco e do próprio rio e o tal parente perguntava que diabo é isso barqueiro? e a resposta era, é cobra grande, pode até virar o barco, vamos rápido e parar onde der. Essa corrida foi até chegar o primeiro trapiche de uma casa de um senhor ribeirinho, foi só o tempo de parar o barco e o último pular pra cima do trapiche e todos olharam a movimentação que vinha aparentemente seguindo o barco passar direto, deixando ondulações que levantaram o barco. Perguntando ao velho da casa o que era aquilo que passou, ele respondeu “é uma cobra, ela sempre passa nesse horário de 17:30 pras 18:00. já meti bala nela e nem se incomodou e por isso nunca mais mexi com ela”. Outra situação foi de contato visual, quando o barco circulava por rios secundários o barqueiro de repente diminui a velocidade do barco até parar e chama os passageiros e avisa olhem lá uma cobra grande, estavam a no máximo 300 metros dela, dava apenas para ver a criatura com o pescoço para fora da água e olhos brilhando, ela devia estar descansando na tranquilidade típica desses rios secundários, ela aparentava ter a largura de um pé de buriti adulto, (nessa região não tem buriti) Então o barqueiro falou temos que voltar e pegar outro braço de rio, se passarmos perto ela vai se movimentar e pode revirar o barco, E deram meia volta rezando para que a criatura não fosse curiosa ou faminta. Até hoje o meu parente se pergunta como pode uma criatura se desenvolver assim, não era a famosa sucuri ou anaconda, era outro tipo desconhecido.

  • Romulo

    Esses aqui tomaram um susto também.

    Quem ficava pra ver de perto?

    https://www.youtube.com/watch?v=ZJPpeNaELGI

    • Geisa castro de souza

      De certo que não ficava.

  • Mega Mendigo

    O Rake conta como ser criptozoologico?

  • Finalmente Léo Mitocôndria (O Mito) X Igor Alcântara (O Cético), esperei essa batalha por meses!!!

    Não sei por que mas gosto muito desses programas sobre criaturas e lendas urbanas, tem umas coisas muito bizarras mesmo que fogem do nosso entendimento, algumas são bem manjadas como falaram do Black Dog, etc, mas outras com o mão-peluda é realmente muito diferente. Destaco aqui o “Ataque dos Vermes Assassinos” comentado pelo nosso querido host Andrei, filmaço gosto muito desse filme e ainda tem o Kevin Bacon, agora, minhoca do deserto que cospe ácido e manda choques, é muita viagem, essa eu travei quando ouvi “ácido” haha, como assim? essa porra é o alien?

    Senhores, muito interessante o programa, ouvi amarradão!

    Abraço

    • Oi Leo,

      Muito obrigado por seu feedback. Na verdade eu e o Leo (não você, o Mitocôndria) já gravamos juntos outros 2 episódios e para mim é sempre um prazer gravar com ele ou com o Rafael.

      Um abraço! :)

      • Não sei porque achei que esse fosse o primeiro hahah!

        • Deve ser porque as pessoas achavam que eu havia sequestrado ele para poder participar mais,

          • Geisa castro de souza

            Igor a gente sabe que o sequestro foi real, que o
            Andrei teve que sumir por dias para encontrar o cativeiro do Léo e que ninguém ainda conseguiu provas substanciais para te indiciar rs

          • hahahahaha. Que ouvintes criativos!

  • Quase ia me esquecendo, venho trazer mais um ser mitológico daqui de SC, é o famoso Pelznickel:

    Segundo a lenda, o Pelznickel vem receber as cartas endereçadas à Papai Noel e verificar se as crianças foram comportadas por volta de 6 de dezembro, dia de São Nicolau, Santo que dá origem à tradição de Papai Noel. Se até a véspera de natal a criança não melhorar, o Pelznickel vem pegá-la e a leva para o mato.

    Outros nomes do Pelznickel ou do ajudante de Papai Noel: Knecht Ruprecht, Klaubauf, Bartel, Pelzebock, Belzeniggl, Belsnickel.

    O mais legal é que as pessoas se vestem desse ser e levam a tradição adiante, assustando as crianças da região, mais precisamente na cidade de Guabiruba-SC, a 50Km daqui de Blumenau, durante o desfile de natal, o Pelznickel acompanha as crianças que não se comportam e fica sempre aquela ameaça de serem levados embora a qualquer instante, é tipo um homem do saco 2.0 de natal.

    Deixo aqui uma matéria do Jornal local que mostra mais detalhes e uma foto dele:

    http://www.youtube.com/watch?v=OnwvSzXGiwI

    Fala aí que não é de dar medo?

  • ainda bem q o pessoal foi mais rápido que eu e percebeu a diferença entre folclore e criptozoologia =P

  • Fala, freaks! O episódio foi bem interessante, apesar de vocês terem falado mais de lendas urbanas e folclores locais do que de criptozoologia em si. Sugiro um episódio falando mais especificamente sobre esses animais e sobre os cientistas que se propuseram a estudá-los.
    Adiciono também com o recente caso do Lagarfljótsormurinn, suposto “monstro do lago Ness” islandês, que causou rebuliço quando especialistas alegaram que recentes gravações feitas por locais eram reais e nada tinham de montagem.

    • Legal, não sabia deste monstro islandês, mas de repente gravamos sobre ele em breve. Minha explicação é que trata-se de algum bicho de estimação da Björk.

  • buhler

    eu curti essa pegada de mostrar os “hippesters” dentre a criptologia, e no caso do japão, a questão dos yokays é engraçada, essa fusão do sobrenatural, fantasmas ao elemento de uma criatura folclorica que praticamente existe.

    Me pergunto como seria rica a cultura em outros paises, se a igreja nao os tivesse os transformados em demonios. As criaturas dos celtas entidades que envolvem muito a questão da natureza, e foram transformados em demonios merecem um episodio a parte, podia ser um compilado, de faunos, duendes, fadas e etc…

    voto na edição cada vez mais puxada para dar medo de verdade =p e acho a ideia de fazer o aconteceu comigo sendo encenado “teatralmente” genial, abraços ae galera do MFC ;)

    • Geisa castro de souza

      Essa parte teatral do “voo” me lembrou muito da época que escutava Escriba Café, achei que ficou interessante e deu um toque especial ao cast.

      • Méritos do nosso talentoso editor, Guilherme Cardoso.

      • Guilherme Cardoso

        Valeu mesmo Geisa! É uma honra ser comparado ao Escriba Café…. mas ainda falta muito para chegar aos pés dele. Mas aos poucos a gente chega lá. Abração

        • Geisa castro de souza

          tudo tem um começo não é, parabéns mesmo.

  • Lucas Balaminut

    O quarto episódio que escuto, e estou adorando o podcast! Muito legal. Comecei pelo de maçonaria e não parei mais. Também sou a favor de uns capítulos com edições mais sinistras. Vocês estão de parabéns! :D

    Pra quem não conhece, tem um podcats americano derivado do This American Life chamado Serial. O Serial investiga um caso de assassinato de uma garota de 17 anos que culminou na condenação do seu ex-namorado, Adnam, a passar o resto na vida na cadeia. O caso é envolto de fatos bizarros, testemunhos controversos, detalhes nonsense, e muito, muito mistério.

    Cada episódio investiga um detalhe específico do caso, e a cada prova e testemunho, a opinião dos ouvintes muda dramaticamente. Sarah, a jornalista investigadora, é extremamente objetiva e vai fundo em cada detalhe. Por exemplo: ela chegou a entrevistar a construtora e o engenheiro que fizeram um Best Buy, afim de descobrir se existia um telefone público ali. Mesmo com a planta de construção em mãos, Sarah não ficou satisfeita e foi atrás dos registros das empresas de telefonia.

    São apenas 11 episódios, e o season finale vai sair na quinta-feira (18 de Dezembro). Aqui no EUA, o podcast bateu todos os records de download e virou mania. Todo mundo está maluco pra saber do desfecho, algo no tipo “Quem matou Odete Roitman”.

    • Já ouvi falar do Serial, mas não escutei ainda, mas é uma boa ideia que quero imitar para fazer um cast nestes moldes em português.

      Obrigado por fazer a maratona do MFC e obrigado pelos elogios!

      E, vejam só, mais um “freak” em solo estadunidense. Se continuar assim, vamos fazer um Freak Out USA em breve!

      • Lucas Balaminut

        Hahaha sim! O serial é bem diferente dos podcasts brasileiros, tem menos tom de conversa e parece mais com um documentário, ou um audiodrama de suspense. É viciante! haha

        Fazem 6 anos que estou no EUA. Morei, trabalhei e estudei em tudo quanto é canto: Brooklyn, San Jose, Chicago, e agora moro em St. Louis – trabalho aqui como analista financeiro em uma mega corporação, daquelas bem evil que querem dominar o mundo, já faz quase 1 ano. Visitei ao todo 31 estados, e estou tentando completar os 50.

        :D

        • Já trabalhei em Saint Louis. Tem uns stri…ops, bares bem legais aí.

          • Lucas Balaminut

            Hahaha tem sim! Do lado do meu escritório tem um Hooters, mas “bares” desse tipo apenas do lado East!

            Se algum dia voltar pra ca, me avisa. Eu to proficional em fazer tour de brasileiros… todos os tipos de tour.

  • Lucas Balaminut

    No SciCast, sou chamado de Lucas Bahamut – piada infame com meu sobrenome. Porém, não tinha idéia doque era essa criatura. Valew Mundo Freak. xD

  • Romulo

    Acho que a mistura de criptidos com folclore ou fantasmas foi porque usaram como roteiro o texto seguinte:
    http://www.megacurioso.com.br/lendas-urbanas/49272-13-criaturas-folcloricas-e-monstros-menos-conhecidos-pelo-mundo-afora.htm

    Tava olhando alguns folclores ou relatos das Filipinas e vi que em certos aspectos tem muita coisa comum aos relatos que escutava no Maranhão e Pará, muito interessante. Achei dois textos interessantes em inglês que citam o Bal-Bal que é um tipo de Aswang.
    http://staypinoy.com/creatures-of-the-philippines/
    http://www.wheninmanila.com/top-10-scariest-monsters-creepers-and-creatures-in-the-philippines/
    Na boa e velha wiki:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Aswang
    http://en.wikipedia.org/wiki/Philippine_mythical_creatures
    http://en.wikipedia.org/wiki/Bal-Bal

    E um doc:
    https://www.youtube.com/watch?v=2ePhqoyLpXQ

  • Eu tenho uma mochila da marca Kappa. Uma vez no trabalho ficaram tirando onda da minha cara, aí quando fui pesquisar eu descobri tudo o que falaram sobre a criatura e um plus: ele suga a energia das pessoas pelo ânus.

    Até a próxima.

  • nem terminei de ouvi pra vir comentar, esse episódio só fala de criaturas: mitológicas/lendas/sobrenaturais em geral.

    a unica coisa de criptozoologia que vi até agora, são os vermes da mongolia.